terça-feira, 28 de abril de 2015

Quando a gente se pergunta: Como?


Quem nunca (seja homem ou mulher) em um momento de lucidez, se lembrou de um antigo relacionamento ou de alguma paixão do passado e se perguntou: - "Como?" ou "Por quê?"
O tema desse post é exatamente sobre "Como diabos eu consegui gostar desse ser humano?"

Certo dia eu estava vendo no Facebook a foto de um garoto que eu era apaixonada na minha adolescência, estudávamos no mesmo colégio, eu devia ter uns 16 anos mais ou menos...

Ele era um cara extremamente fútil, ligava demais para aparência e eu cheguei a passar fome nas férias para perder alguns quilos e ele reparar em mim quando voltássemos às aulas.
Funcionou bem.
Hoje, como disse anteriormente, vejo seu Facebook. suas postagens e me pergunto: Como?
E outros tantos caras que eu admirei, gostei, fui a fim... enfim...

Acredito que todas as pessoas que sofrem por amor, em um dado momento de sua vida se faz uma dessas perguntas.
Naquela época, a gente não sabia discernir o quanto aquela pessoa era idiota, infantil, fútil, retardada, porque estávamos enxergando sob o prisma da paixão.
E essa visão não tem filtro.
Ela nos faz ver exatamente o que queremos e acreditar no que necessitamos para o momento.



Uma coisa é fato: toda essa cegueira nos serve de aprendizado e toda relação nos deixa alguma coisa boa de herança.
Mesmo que seja um pouco de inteligência, maturidade, lucidez com algumas cicatrizes.

O bom de tudo isso é que uma hora acaba. Os olhos voltam a ver a luz e a sabedoria vem fazer morada em nossa razão.

Para você que me lê, digo: Você não está só. Se você pensa o mesmo é porque evoluiu.
Estamos pelas redes sociais, acompanhando esses seres humanos aos quais um dia estivemos ligados por afinidade, afetividade, química...
Somos aos montes.

Sejamos gratos pelas boas e más heranças que recebemos e torçamos para que eles também tenham evoluído.
E se não deu certo, agradeçamos aos céus, pois foi por uma boa causa.
A gente sempre vai se perguntar, mas a vida segue, então que venham os próximos erros.

Existe também aquele arrependimento que dói, quando nos perguntamos: Por que não?
Mas esse assunto, vou deixar para outro post.




terça-feira, 7 de abril de 2015

"Vê se cresce!"

Apesar de eu estar em um relacionamento há mais de 16 anos e ter meus próprios dilemas da vida a dois, tenho muitas amigas solteiras que me dão excelentes materiais para este blog.
Há poucos dias, conversávamos em um grupo de WhatsApp, só de meninas com mais ou menos 30 anos, dando conselhos a uma amiga que estava tendo um problema de relacionamento com um babaca.
Primeira coisa a dizer sobre esta postagem: os homens não são todos iguais. NÃO MESMO!
Mas existem uns exemplares que me dão tristeza.
E nem vou falar daqueles que dormem na fila do Velozes e furiosos 7, ok? 
Vou falar apenas de alguns espécimes que eu, se fosse uma solteira dos dias atuais, mandaria o seguinte recado: "Vê se cresce!".
Não por gostar de jogos, tecnologia e outras coisas, que hoje nem são consideradas mais SÓ PARA HOMENS, mas por certos comportamentos, um tanto infelizes, para se ter com uma mulher, digamos, mais madura.
O texto contém algumas palavras pesadas, então, você pode parar de ler por aqui.
Se quiser continuar, seguem algumas dicas (de uma mulher de 36 anos) para você que deseja ter um relacionamento legal, seja homem ou mulher.

Chamo esta lista de OS DEZ MANDAMENTOS PARA QUEM QUER SAIR COM UMA MULHER COM MAIS DE 30

1- NÃO MINTA SOB HIPÓTESE ALGUMA - uma mulher mais velha vai jogar aberto com você, vai dizer o que quer e o que espera. Se ela não disser, não se preocupe, somos o tipo de mulher que não gosta de joguinhos. Portanto, não minta. Sobre nada. A mentira por menor que seja, acaba com a confiança e o mais importante: com a diversão.

2- NÃO FAÇA JOGUINHOS - assim como vocês não gostam de adivinhar pensamentos, nós também não gostamos e quando atingimos uma certa idade, achamos tudo isso um saco. Em resumo: um beijo e adeus.

3- NÃO SEJA INDECISO - se você está afim de sexo com uma mulher com mais de 30, transe,  vai ser inesquecível. Se não está,  deixe para quem está disposto a fazê-lo. Qualidade é melhor que quantidade. Sempre. "Não sabe brincar, não desce pro play." 

4- NÃO BANQUE O ADOLESCENTE PUNHETEIRO Mulheres perto dos quarenta sabem bem o que querem quando o assunto é sexo, se ela quer dar pra você, ela realmente quer. Não acenda o fogo se não der conta de apagar. E se, somente se, entramos na sua onda de adolescente punheteiro, estamos apenas DANDO CORDA PRA VOCÊ SE ENFORCAR. Quando o assunto é sexo, estamos realmente dispostas se dissermos que sim, obviamente.

5- NÃO É PORQUE SOMOS MAIS VELHAS QUE TEMOS QUE BANCAR A MÃEZONA. Bem autoexplicativo, não?

6- SE VOCÊ NÃO QUER SE ENVOLVER, DIGA COM TODAS AS LETRAS nós entenderemos perfeitamente isso. O mesmo vale para o contrário.

7- QUEREMOS QUALIDADE NAS RELAÇÕES E NÃO QUANTIDADE - as mulheres solteiras analisam, calculam, estão sempre em busca do melhor, mas nunca vão dispensar uma transa. Por isso capriche.

8- NÃO SEJA FILHINHO DA MAMÃE E NEM CAMISOLÃO - isso bota muito em questão a sua atitude e maturidade.

9- VOCÊ PODE E DEVE FAZER ELOGIOS, ALÉM DE SER GENTIL- mas seja sensato, realista e lembre-se do item 1.

10- SEJA HOMEM - não importa a idade que você tenha, aja como homem de sua idade. Se você for mais novo, nós entenderemos suas necessidades e comportamento. Se uma mulher escolheu estar ao seu lado, ela estará. Não importa sua cor, peso, tamanho da bagagem... Sempre fazemos o que temos vontade e o estamos dispostas a experimentar. Então, seja você. Sempre.




Das DR's

Hoje devo ser grata por ter voz.
Antigamente, nos tempos de Vovó Alaíde, na sociedade dita patriarcal, as mulheres apenas assentiam (ou fingiam que sim) para não render assunto.

Benditas DR's?
Se durante o decorrer dos dias existissem conversas, não existiriam DR's.
Não acredito, sinceramente que sejam boas e saudáveis as Discussões de relacionamento.


As DR's existem porque no decorrer do dia, da semana, ao longo do relacionamento, não existe diálogo.
Existe um momento insustentável onde algo afeta o outro diretamente e é o estopim para as explosões. Algumas com gritos, xingos, choro, ofensas pesadas, desrespeito mútuo...
Não era para ser assim nos relacionamentos amorosos.

Certa vez, alguém me disse que sabedoria era se calar diante de uma ofensa.
Eu nunca soube fazer isso.
Nunca soube me calar. Engolir um sapo.
Se alguém me machucava, enfiava ainda mais fundo o dedo na ferida do outro.

As Dr's em sua grande maioria são como uma espécie de batalha, onde alguém tem que sair vencedor.

Vejo muitas piadas a respeito de discussões entre casais, onde dizem que as mulheres sempre tem que sair ganhando.
Mas não é bem isso que vejo na realidade.
Vejo relacionamentos promissores se acabando porque existe entre homens e mulheres uma certa competição, onde o mais forte vence.
Ou não.
Isso é triste, mas inerente ao ser humano. Competir sempre, não importa com quem.

Quando um fala alto e o outro se cala, também não é bom. O que se cala acumula e o acúmulo de impureza gera o que os médicos chamam de doenças psicossomáticas (doenças que começam na mente e se manifestam no corpo após um tempo). Essas doenças podem levar a grandes problemas e causar até a morte.

Algo que sempre digo é que todo ser humano deveria ir a um psicólogo e se ouvir numa sessão de psicanálise. O que você ouve de si mesmo é o que o mundo ouve. E talvez não soe como uma bela melodia, mas é um pequeno passo para uma grande mudança.
Vale pensar também sobre respeito. 
Até onde uma relação onde não existe respeito mútuo deve seguir adiante?
Fica para um outro momento esta reflexão.