segunda-feira, 22 de maio de 2017

Quando se escreve uma história é preciso saber quando parar

As histórias de amor, em especial as longas, não se escrevem sozinhas.
Com o passar dos anos, vão se tornando tão rotineiras, tão naturalmente normais, que vão sendo deixadas de lado, pelas duas partes envolvidas.
Gostaria de saber a receita para um relacionamento de sucesso.
Todavia, infelizmente, não a tenho.
Quando a receita desanda e começa a amargar, é uma gotinha de fel, pingando no dia-a-dia que estraga um amor imenso.
Às vezes na busca por diferentes anseios, os caminhos vão se distanciando e vão ficando cada vez mais DISTANTES.

Dois estranhos dividindo o mesmo espaço.
Cada um resolve seguir suas paixões, o único compromisso que devemos assumir. O que nos faz acender, brilhar mesmo.

É egoísmo demais querer que a outra pessoa seja uma continuação de nós, ou que ela viva à mercê de nossas escolhas.

Esta última semana, assisti a um filme espanhol, "Nuestros amantes", um filme lindo do início ao fim e no qual uma metáfora lindíssima que descreve o fim de uma relação e que compartilho aqui:
" Às vezes quando se escreve um roteiro, é difícil saber quando parar. Você chegou no final e não percebe, então, continua tentando encontrar o final perfeito. E só estraga tudo."
A história termina, mas não conseguimos ver que acabou.
Se continuar a ser escrita, vai se tornar um filme de horror, no melhor estilo Stephen King.
Ah... quando isso acontece é trágico.
O casal passa a se suportar. Porque existem outras coisas envolvidas.
Família, patrimônio, comodismo, medo de deixar o que é seguro...
Seguro?
E desde quando é seguro se agarrar a uma bomba relógio?!

Existe amor. Mas não se gosta.
Tem uma frase que eu gosto muito de um outro filme, "Um dia", quando a personagem Emma diz ao Dexter "Eu te amo Dexter. Amo muito. Só não gosto mais de você".

Resultado de imagem para emma e dexter eu te amo só não gosto

Alguns acharão estranho, mas não é.
Como eu disse anteriormente, o amor não acaba, mas o gostar, o apreço pela companhia, a admiração...
Todos eles, se esvaem...
É triste, eu sei. 
Queria ter uma tem solução, mas não consigo.
Penso que o melhor a se fazer é aceitar o final, começar a escrever uma nova história e ver no que dá.

Curta Blog da Multimulher no FB

Resultado de imagem para final de filme

Nenhum comentário: