quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

"São meus filhos que tomam conta de mim..."

A frase do título de hoje é da música Pais e Filhos do Legião Urbana, hoje, aos 38 anos, não suporto mais ouvir, nem a música e nem a banda. Enfim... o porquê do título é o seguinte: eu nunca tinha entendido esta frase a até me tornar mãe.
Quando nasce um filho, nasce uma mãe e um pai, na grande maioria das vez, mas você vai dizer que há os pais e as mães que abandonam. Há. Sem dúvida.Não são desses que o texto trata.

Voltando à frase, quem tem filho vai me entender, depois que nos reconhecemos pais, a única coisa que realmente importa para nós é que nossos filhos se tornem boas pessoas.
Saudáveis, honestas, fortes, generosas... e uma infinidade de outras qualidades que poderia enumerar aqui. Nenhum pai e nenhuma mãe quer que seu filho tenha defeitos, não é mesmo?
E é por eles e para eles que passamos a nos dedicar 100% enquanto tivermos forças.
Depois eles crescem e vão caminhar com as próprias pernas.


Muitas vezes, eu, pessoa, tive e tenho muitos desafios, provações tão enormes que me deram/dão vontade de dar cabo da vida.  Acredito que 99% das pessoas já pensaram nisso. Mas aí você pensa: eu tenho filhos, como eles vão ficar sem mim? E reza para que a ordem natural da vida se faça.
Que eles cresçam, se tornem independentes e formem suas famílias.
Em suma: eles cuidam da gente. Mesmo sem saber.

Por eles suportamos tanta coisa, que eles não imaginam. Até relacionamentos são suportados pelos filhos.  

Quando nascemos pais, nosso coração passa a caminhar fora do nosso corpo, não mandamos mais em nossas vidas, não temos mais o direito de cair e ficar caídos.
Uma vez um amigo me disse, num momento de turbulência: chore tudo o que você tiver que chorar aqui comigo, para quando você entrar na sua casa, você dar aos seus filhos o seu melhor sorriso.
Jamais me esquecerei dessas palavras.
A gente chora de raiva, de dor, de desespero. Dentro do banheiro, durante o banho, mas nunca na frente dos nossos filhos.
A gente não aspira ser perfeito, longe disso, porque é impossível. Mas a gente tenta. Ah! Se tenta! Dia e noite, tentando dar a eles o melhor que temos em termos de amor e valores. Torcendo para que ele devolva isso ao mundo.
Rezando para que ele seja bom, que tenha compaixão, que tenha caráter.
Nem sempre vamos conseguir o resultado perfeito, e, se, algo der errado, devemos continuar ali, lutando, na sagrada missão que recebemos da vida.
Filhos são um presente que ganhamos para cuidar bem, temporariamente.






Nenhum comentário: