quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

"São meus filhos que tomam conta de mim..."

A frase do título de hoje é da música Pais e Filhos do Legião Urbana, hoje, aos 38 anos, não suporto mais ouvir, nem a música e nem a banda. Enfim... o porquê do título é o seguinte: eu nunca tinha entendido esta frase a até me tornar mãe.
Quando nasce um filho, nasce uma mãe e um pai, na grande maioria das vez, mas você vai dizer que há os pais e as mães que abandonam. Há. Sem dúvida.Não são desses que o texto trata.

Voltando à frase, quem tem filho vai me entender, depois que nos reconhecemos pais, a única coisa que realmente importa para nós é que nossos filhos se tornem boas pessoas.
Saudáveis, honestas, fortes, generosas... e uma infinidade de outras qualidades que poderia enumerar aqui. Nenhum pai e nenhuma mãe quer que seu filho tenha defeitos, não é mesmo?
E é por eles e para eles que passamos a nos dedicar 100% enquanto tivermos forças.
Depois eles crescem e vão caminhar com as próprias pernas.


Muitas vezes, eu, pessoa, tive e tenho muitos desafios, provações tão enormes que me deram/dão vontade de dar cabo da vida.  Acredito que 99% das pessoas já pensaram nisso. Mas aí você pensa: eu tenho filhos, como eles vão ficar sem mim? E reza para que a ordem natural da vida se faça.
Que eles cresçam, se tornem independentes e formem suas famílias.
Em suma: eles cuidam da gente. Mesmo sem saber.

Por eles suportamos tanta coisa, que eles não imaginam. Até relacionamentos são suportados pelos filhos.  

Quando nascemos pais, nosso coração passa a caminhar fora do nosso corpo, não mandamos mais em nossas vidas, não temos mais o direito de cair e ficar caídos.
Uma vez um amigo me disse, num momento de turbulência: chore tudo o que você tiver que chorar aqui comigo, para quando você entrar na sua casa, você dar aos seus filhos o seu melhor sorriso.
Jamais me esquecerei dessas palavras.
A gente chora de raiva, de dor, de desespero. Dentro do banheiro, durante o banho, mas nunca na frente dos nossos filhos.
A gente não aspira ser perfeito, longe disso, porque é impossível. Mas a gente tenta. Ah! Se tenta! Dia e noite, tentando dar a eles o melhor que temos em termos de amor e valores. Torcendo para que ele devolva isso ao mundo.
Rezando para que ele seja bom, que tenha compaixão, que tenha caráter.
Nem sempre vamos conseguir o resultado perfeito, e, se, algo der errado, devemos continuar ali, lutando, na sagrada missão que recebemos da vida.
Filhos são um presente que ganhamos para cuidar bem, temporariamente.






segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Namore com alguém que...

Não raro, me deparo com algumas fotos no Facebook ou Instagram que tem na legenda uma frase iniciada com o título deste post.
O primeiro post de 2017.
Há tempos venho querendo escrever algo.
Mas hoje, especialmente, senti vontade de escrever sobre a frase acima.
Me chamou atenção uma foto do Ryan Reinolds e sua esposa Blake Lively, e eu comecei a pensar em como poderia completar tal frase.
A primeira coisa que em veio a cabeça foi:
Namore com alguém que te veja. Sim! Namore com alguém que não simplesmente te olhe, mas que te enxergue, que você se veja no fundo de seus olhos, que perceba as qualidades maravilhosas que você tem, que faça questão da sua presença.
Ser invisível é doloroso.


Namore com alguém que te acompanhe. Sim! Alguém que vá aos lugares com você e se sinta feliz com isso, que se preocupe com o que você quer fazer, com o seu lazer, que não vá somente pela obrigação de cumprir um papel.
Se for assim, melhor nem ir. Não vai ser legal.

Namore com alguém que te faça rir. Dispensa qualquer comentário. O riso é o melhor da vida. Alguém que te faça rir das coisas mais bobas,das piadas mais velhas e tolas.
Algumas pessoas só arrancam lágrimas.
 
Namore com alguém que te aceite. Aceite quem você é, com seus defeitos, que não zombe se você é menos inteligente, alguém que não queira que você seja uma cópia dele ou dela. Alguém que te deixe livre.

Namore com alguém que goste de conversar. Sobre todos os assuntos, jardinagem, economia, culinária, política, futebol... Com o passar do tempo, nenhuma relação é só física.


Namore com alguém que não pule do barco na primeira tempestade. 
Namore com alguém que segure na sua mão quando você sentir medo e diga "Vai ficar tudo bem", mesmo sem saber.
Namore com alguém que trate bem toda e qualquer pessoa, ou bicho, ou planta. 
Namore com alguém que saiba aproveitar os momentos.
Namore com alguém que te faça bem.

Todo relacionamento no início é lindo. As pessoas quando querem algo são perseverantes e até fofas.
Mas quando iniciamos uma relação é fácil perceber onde estamos entrando. Basta olharmos com a devida atenção.
E mesmo assim, costumamos entrar em cada roubada...
Enfim, namore com alguém. E se não der certo parta pra outra, ou para nenhuma.
Só não se esqueça que o seu primeiro amor deve ser você mesmo (a).