quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Will e Bernie (qualquer semelhança com a realidade...)

Will e Bernie formavam um lindo casal. Vinte seis anos juntos, três filhos lindos, muita grana na conta bancária... Quanta felicidade!
Em público Will e Bernie eram o par perfeito, clássico, tudo o que seus admiradores gostariam de ser na vida.
Viagens aos exterior, glamour... que casal não queria ser como Will e Bernie?
Em agosto de 2016 para a nossa grata surpresa os dois anunciaram a separação.
Houve desmaios, pânico, escárnio da sociedade...
O quê? Will e Bernie? Não acredito! Um casal tão perfeito...


O mundo está repleto de casais como Will e Bernie. Uma imagem do que um casal de verdade deveria ser. Desses de comercial de margarina. 
Que vão aos lugares e que são vistos juntos, posam para fotos e sorriem na frente de estranhos, familiares...
Mas quando Will e Bernie entram em casa, mal se falam.
Talvez Will seja muito ocupado e Bernie trabalhe excessivamente e os dois esqueçam que são um homem e uma mulher antes de ser casal.
Talvez Will curta uma balada e Bernie goste de ver Netflix. Ou Will goste de carne gorda e cerveja com os amigos e Bernie seja fissurada em dieta e malhação.
Talvez Bernie adore conversar e Will goste de ficar mais isolado, ouvindo uma música, ou lendo...
Talvez Will e Bernie só estavam juntos para cumprir um papel.
Talvez Will e Bernie estavam tão cômodos que precisassem apenas de um empurrão (um novo amor, uma oportunidade de trabalho no exterior, um projeto de vida individual, ou simplesmente sair da zona de conforto)
Talvez ela só vivesse reclamando. Talvez ele só vivesse reclamando.
Existem N motivos para o fim de uma relação, motivos improváveis, ou simplesmente aqueles que acabam sem motivo. Só pelo tempo de desgaste. Pode ser 2 semanas, 30 dias, 26 anos...
O que não pode acabar é o direito de cada pessoa de viver plenamente sua vida e ser feliz.
Se for com outra pessoa, bacana. Se não for, bom também.
O que não podemos é ficar preocupados com a vida de Will e Bernie que continuam ricos, porém solteiros.

Um comentário:

Luciene Santos disse...

Como sempre. Excelente texto! Sou sua "mega" fã.