terça-feira, 7 de abril de 2015

Das DR's

Hoje devo ser grata por ter voz.
Antigamente, nos tempos de Vovó Alaíde, na sociedade dita patriarcal, as mulheres apenas assentiam (ou fingiam que sim) para não render assunto.

Benditas DR's?
Se durante o decorrer dos dias existissem conversas, não existiriam DR's.
Não acredito, sinceramente que sejam boas e saudáveis as Discussões de relacionamento.


As DR's existem porque no decorrer do dia, da semana, ao longo do relacionamento, não existe diálogo.
Existe um momento insustentável onde algo afeta o outro diretamente e é o estopim para as explosões. Algumas com gritos, xingos, choro, ofensas pesadas, desrespeito mútuo...
Não era para ser assim nos relacionamentos amorosos.

Certa vez, alguém me disse que sabedoria era se calar diante de uma ofensa.
Eu nunca soube fazer isso.
Nunca soube me calar. Engolir um sapo.
Se alguém me machucava, enfiava ainda mais fundo o dedo na ferida do outro.

As Dr's em sua grande maioria são como uma espécie de batalha, onde alguém tem que sair vencedor.

Vejo muitas piadas a respeito de discussões entre casais, onde dizem que as mulheres sempre tem que sair ganhando.
Mas não é bem isso que vejo na realidade.
Vejo relacionamentos promissores se acabando porque existe entre homens e mulheres uma certa competição, onde o mais forte vence.
Ou não.
Isso é triste, mas inerente ao ser humano. Competir sempre, não importa com quem.

Quando um fala alto e o outro se cala, também não é bom. O que se cala acumula e o acúmulo de impureza gera o que os médicos chamam de doenças psicossomáticas (doenças que começam na mente e se manifestam no corpo após um tempo). Essas doenças podem levar a grandes problemas e causar até a morte.

Algo que sempre digo é que todo ser humano deveria ir a um psicólogo e se ouvir numa sessão de psicanálise. O que você ouve de si mesmo é o que o mundo ouve. E talvez não soe como uma bela melodia, mas é um pequeno passo para uma grande mudança.
Vale pensar também sobre respeito. 
Até onde uma relação onde não existe respeito mútuo deve seguir adiante?
Fica para um outro momento esta reflexão.








Nenhum comentário: