sexta-feira, 6 de junho de 2014

A culpa é de quem?! A culpa é das estrelas


"Alguns infinitos são maiores que outros..."

Esta frase está num livro que ainda não li, mas ela mexeu profundamente comigo hoje quando fui levada por minha filha e uma leva de adolescentes ao cinema para assistir ao clássico filme, do clássico livro de John Green  - A culpa é das estrelas - e que me recusei a ler, até a presente data por não ser chegada a best-sellers indicados pela Veja. (Tamanho o meu preconceito)


Voltando àquela frase do início, "Alguns infinitos são maiores que outros" me levou a pensar na importância dos nossos infinitos particulares, nos momentos eternizados em nossa memória que duraram a infinidade de 5 minutos, um olhar que se cruza que tem eternidade de 5 segundos e que abala nossas estruturas ou uma vida inteira que tem a infinidade do tempo que durar.


O que é infinito? 

Infinito é o cabe numa fração de segundo, mas que tenha muito valor, que deixe marcas profundas.
Boas, ruins, não importa. O importante é deixar algo.

O amor é infinito mesmo quando ele acontece, ou não. 

Quando ele acontece, dure o tempo que durar, ele ficará em nós pela eternidade das nossas lembranças.
Quando ele não acontece deixa um infinito de possibilidades e divagações.

O primeiro beijo é infinitamente o primeiro em nossos corações.

O primeiro amor é o único e infinito primeiro amor.
A primeira dor de amor é infinita e termina no instante em que encontramos o segundo amor e a dor vai sendo infinitamente maior depois e depois.


nzhouey:  YA Lit Meme: 9 Quotes ↳ [1/9] “Some infinites are bigger than other infinites.” - Hazel Grace Lancaster | The Fault In Our Stars

Os infinitos momentos de prazer ao lado de alguém, durem eles alguma horas, dias, meses, anos serão infinitamente importantes para uma vida inteira.

O que importa é sabermos que os infinitos tem tamanhos diferentes e que devemos vivê-los sem nos preocuparmos em mensurá-los.

Até o dia em que nos tenhamos mais nenhum.

Você já parou pra pensar que entre o 1 e  o 2 tem uma infinidade de números? Nem eu.

Imagine então quantos existirão entre 1 e 1.000.000? 
A personagem principal do filme disse isso.
Estranho pensar em números, mas eles são nossa mais próxima noção do que seja infinito.
E depois, o universo.



O universo de cada um dura o infinito que cada um se permite ter.

Qual infinito você deseja?



Um comentário:

Eula Alves disse...

O filme estreia hj.Li o livro. Quer se acabar de emoção? Vá ver. Lindo seu texto.