quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

100 novas (e boas) atitudes para 2014

Em meus garimpos pela internet e Facebook, sempre leio coisas as quais gostaria de compartilhar, A página de onde extraí as "100 coisas trivias para  fazerm em 2014" se chama Revista Bula e tem muitas coisas legais, que sempre estou compartilhando em minha timeline. Espero que gostem: 
2014
1— viva cada dia como se fosse o último, mas com a certeza de que não seja;
2 — ponha seus problemas nas mãos de Deus, mas ajude Deus a resolvê-los;
3 — abandone hábitos destrutivos como fumar ou expor-se a risco desnecessários;
4 — tire mais tempo para planejar;
5 — adquira o hábito de ler literatura e ouvir música de qualidade;
6 — diga sim ou não, conforme lhe convier, mas com a mesma urbanidade;
7 — conte até 10 antes de desferir um primeiro soco;
8 — dê o primeiro soco para nocautear;
9 — se trocar de religião é trocar de dúvidas, troque suas dúvidas por outras mais estimulantes;
10 — troque a paixão que morreu por uma paixão que está começando;
11— trabalhe para viver sem morrer de trabalhar;
12 — use mais o jeito do que a força;
13 — curta cada dia como se fosse uma dádiva sobrenatural;
14 — curta a lua cheia como se a visse pela primeira vez
15 — arrisque a escrever um poema, ou um livro de poemas;
16 — não tenha medo de parecer bobo;
17 — jogue todas as suas fichas naquilo que você deseja com toda a força de seu coração;
18 — se você perder a parada, saia sem ressentimento e parta pra outro sonho;
19 — distribua mais elogios;
20 — faça por merecer os elogios que receber;
21 — agradeça os elogios com serenidade;
22 — seja fleumático diante dos perigos da vida;
23 — seja mais otimista sem desligar o desconfiômetro;
24 — faça exercícios ao ar livre;
25 — caminhe pelos parques conversando com amigos;
26 — descarte as coisas que não usa mais;
27 — descarte os hábitos e sentimentos que você ainda usa, mas que são nocivos ao seu bem estar;
28 — poupe ao menos 20% de seu ganhos;
29 — não compre fiado, nem pague juros;
30 — consulte vidente, cartomante, mas também médico ou advogado;
31 — faça e mantenha uma previdência privada;
32 — diga de viva voz “eu te amo” às pessoas de quem você realmente goste;
33 — não diga “eu te amo” em vão;
34 — desenvolva interesses não econômicos;
35 — passe mais tempo com pessoas da família;
36 — promova mais harmonia por onde andar;
37 — quebre as falsas harmonias;
38 — ajude uma pessoa que você viu pela primeira vez e nunca mais vai vê-la;
39 — dê um presente a você mesmo;
40 — não comprometa seu orçamento com desejos supérfluos;
41 — faça check-ups regularmente;
42 — não troque salário maior por vida menor;
43 — mas lembre-se: nem sempre sair da linha de conforto é diminuir a vida;
44 — sacrifique-se por aquilo que realmente vale a pena;
45 — compre uma bicicleta e caminhe em locais seguros;
46 — não queira mais músculos do que cérebro;
47 — não seja um cérebro desencarnado;
48 — se tem que fazer, comece já, mas procure os entendimentos necessários;
49 — faça dieta sob orientação técnica;
50 — desenvolva habilidades novas;
51 — inclua uma totalmente inútil, como fazer mágica, por exemplo;
52 — ponha as coisas mais importantes (para você) em primeiro lugar;
53 — comporte-se como que vai deixar um legado para as futuras gerações;
54 — pense em consertar o mundo: comece cuidando melhor do seu lixo;
55 — gaste menos água em suas atividades;
56 — examine seus próprios atos, antes de culpar alguém ou a Deus por eventuais fracassos;
57 — torne-se mais produtivo;
58 — aprenda a ter orgulho de seu desempenho;
59 — não que ser o exemplo nem a palmatória do mundo;
60 — faça trabalho voluntário;
61 — seja correto em suas relações;
62 — não deixe que alguém o explore ou faça de bobo;
63 — não aceite nenhuma forma de humilhação;
64 — inclua seus pais ou avós, em alguma atividade recreativa;
65 — aprenda um idioma novo;
66 — viaje para outros países (Paraguai não vale) e observe os hábitos dos nativos;
67 — trate melhor os seus subordinados;
68 — porte-se com dignidade diante se seus superiores;
69 — concorra a prêmios sem fissura para ganhá-los;
70 — se ganhar na Mega-Sena, não será o fim, toque a vida com serenidade;
71 — não faça hoje o que deve ser feito amanhã;
72 — não colha os frutos quando já estiverem podres;
73 — não venda suas férias;
74 — não venda sua dignidade;
75 — não pague pelo que não é devido;
76 — vote como quem conserta um vazamento;
77 — sinta cada momento como um milagre da existência;
78 — perceba a fragilidade da vida;
79 — entenda que a vida passa rapidamente
80 — perceba o que há de bom em cada fase da vida;
81 — gaste seus dias naquilo que lhe dá mais poder e esperança;
82 — seja grato pelo tempo que já viveu;
83 — seja esperançoso pelo tempo que ainda vai viver;
84 — lembre-se que é mais importante a intensidade que a duração, mas a intensidade que destrói suga o sentido da vida;
85 — não queira ser aquilo para que não tem dom nem temperamento;
86 — não queira ser agradável sem poder;
87 — viva de modo que seus filhos ou netos possam ter orgulho de você;
88 — seja verdadeiro em todas as suas atitudes (não seja dissimulado nem fingido);
89 — aceite desafios com alegria e entusiasmo;
90 — não sofra previamente por fatos que possam nem vir a existir;
91 — esteja preparado para acidentes de percurso;
92 — evite emprestar dinheiro a amigos (você corre o risco de perder o amigo e o dinheiro);
93 — assuma compromissos nos limites de sua capacidade;
94 — expanda sua capacidade para assumir compromissos maiores;
95 — obedeça as leis, mas sempre que for possível, faça gestões para que as leis se aprimorem;
96 — critique pessoas públicas, ou elogie, se lhe aprouver;
97 — denuncie as coisas erradas;
98 — respeite os direito alheios, mesmo os difusos;
99 — viva para ser alegre;
100 — encare eventuais tristezas como processos de depuração de sua felicidade.

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Fim de ano...

Estamos numa época, onde a maioria das pessoas, durante séculos e séculos se sensibilizam em virtude do Natal. 
A fraternidade aumenta nessa época do ano.
As pessoas se tornam mais solidárias, mais unidas, enfim... a bondade toma conta dos corações e o objetivo de espalhar a felicidade e o bem são realmente maiores do que no decorrer do ano.
Fato que não podemos questionar.
Há quem ache que isso seja falsidade, porque as pessoas tem o ano todo para serem boas e no entanto, só se manifestam no Natal. 
Eu não penso assim.
Penso que toda forma de compartilhar o amor é bem vinda e não importa a época que ela venha.
Existem pessoas que podem fazer o ano todo, existem pessoas que só podem fazer no final do ano.
Isso não importa. Desde que o bem chegue.
E sempre, sempre vai haver alguém necessitado.
Seja de coisas materiais ou não.

É preciso pensar que estamos sempre em condições de procurar melhorar o bem que fazemos em quantidade. A cada dia. 
Porque Jesus veio para nos ensinar que devemos amar ao nosso próximo, mas ele não disse quando.
Procuremos então, amar-nos uns aos outros, conforme ele também disse, todos os 365 dias do ano.
Que o ano que se aproxima nos traga mais amor, mais solidariedade e mais doação.
Frase com imagem A solidariedade é o sentimento

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Fechando Ciclos

Acabei de ler este texto, veio em boa hora. 

Estou publicando, pois espero que possa ajudar àqueles que leem meu blog.


Acredito que no fim do ano seja uma boa época para 

fechar ciclos. E que venha um ano realmente novo, para 

todos nós.





As coisas passam e o melhor que fazemos é deixar que elas realmente possam ir embora...

Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final.
Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver.
Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos. Não importa o nome que damos, o que importa é deixar no passado os momentos da vida que já se acabaram.
Foi despedida do trabalho? Terminou uma relação? Deixou a casa dos pais? Partiu para viver em outro país? A amizade tão longamente cultivada desapareceu sem explicações? Você pode passar muito tempo se perguntando por que isso aconteceu....
Pode dizer para si mesmo que não dará mais um passo enquanto não entender as razões que levaram certas coisas, que eram tão importantes e sólidas em sua vida, serem subitamente transformadas em pó. Mas tal atitude será um desgaste imenso para todos: seus pais, seus amigos, seus filhos, seus irmãos, todos estarão encerrando capítulos, virando a folha, seguindo adiante, e todos sofrerão ao ver que você está parado. Ninguém pode estar ao mesmo tempo no presente e no passado, nem mesmo quando tentamos entender as coisas que acontecem conosco.
O que passou não voltará: não podemos ser eternamente meninos, adolescentes tardios, filhos que se sentem culpados ou rancorosos com os pais, amantes que revivem noite e dia uma ligação com quem já foi embora e não tem a menor intenção de voltar.
As coisas passam e o melhor que fazemos é deixar que elas realmente possam ir embora...
Por isso é tão importante (por mais doloroso que seja!) destruir recordações, mudar de casa, dar muitas coisas para orfanatos, vender ou doar os livros que tem.
Tudo neste mundo visível é uma manifestação do mundo invisível, do que está acontecendo em nosso coração... e o desfazer-se de certas lembranças significa também abrir espaço para que outras tomem o seu lugar.
Deixar ir embora. Soltar. Desprender-se.

Ninguém está jogando nesta vida com cartas marcadas, portanto às vezes ganhamos, e às vezes perdemos.
Não espere que devolvam algo, não espere que reconheçam seu esforço, que descubram seu gênio, que entendam seu amor. Pare de ligar sua televisão emocional e assistir sempre ao mesmo programa, que mostra como você sofreu com determinada perda: isso o estará apenas envenenando, e nada mais.
Não há nada mais perigoso que rompimentos amorosos que não são aceitos, promessas de emprego que não têm data marcada para começar, decisões que sempre são adiadas em nome do "momento ideal".
Antes de começar um capítulo novo, é preciso terminar o antigo: diga a si mesmo que o que passou, jamais voltará!
Lembre-se de que houve uma época em que podia viver sem aquilo, sem aquela pessoa - nada é insubstituível, um hábito não é uma necessidade. Pode parecer óbvio, pode mesmo ser difícil, mas é muito importante.
Encerrando ciclos. Não por causa do orgulho, por incapacidade, ou por soberba, mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais na sua vida.
Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira. Deixe de ser quem era, e se transforme em quem é. Torna-te uma pessoa melhor e assegura-te de que sabes bem quem és tu próprio, antes de conheceres alguém e de esperares que ele veja quem tu és. E lembra-te: Tudo o que chega, chega sempre por alguma razão.
by Sonia Hurtado




sábado, 14 de dezembro de 2013

Relação perfeita

"Lembremo-nos de que o homem interior se renova sempre. A luta enriquece-o de experiência, a dor aprimora-lhe as emoções e o sacrifício tempera-lhe o caráter." - Chico Xavier"


Nasci e fui criada, até me entender por gente, na religião Católica.
Sempre ouvi dizer que Deus era vingativo, que Ele castigava as pessoas que erravam, que os bons iam para o céu, os nem tão bons iam para o purgatório e os maus para o inferno.
Então pensava: Deus é um cara muito doido. Dá a gente o livre arbítrio, a gente erra, e Ele castiga. Como isso pode ser possível?

Quando comecei a fazer catecismo, aos nove anos tive que, pela primeira vez (e última), me confessar a um padre.
Me lembro que tremia de medo antes de entrar na sala.
Contei a ele meus pecados (tão bobinhos) chorando de medo de Deus me castigar.
Uma cena que nunca me esqueci. 
E passei a infância achando que Deus era um pai tirano.





Leva tempo para a gente aprender que o amor de Deus por nós é infinito e que o homem é quem cria as religiões e seus dogmas, logo pode pregar o que quiser para o seu rebanho.
A religião deveria nos aproximar uns dos outros e de Deus, mas ao invés disso, pessoas se matam pela fé cega, quando na verdade o objetivo de todas é o mesmo.

Voltando à minha relação com Deus, todos os dias antes de dormir, em oração, pedia a Ele que me mostrasse qual a minha missão neste mundo. 
Me atormentei e me deprimi por anos a fio, já que não obtinha resposta alguma.
Depois de um bom tempo, estudando e fazendo a difícil reforma íntima, tenho percebido que não devemos nos isolar do mundo em busca de um Deus que está em toda parte. Porque a maior prova de fé que alguém pode dar é conseguir conviver com as pessoas que pensam diferente de nós e não impormos nossos pontos de vista.
O maior desafio em viver no mundo de hoje é nos respeitar enquanto pessoas que pensam e agem diferentes umas das outras.
Aprender também que abraçar a cruz do mártir, não nos trará o reino dos céus, porque Deus não nos fez para sofrer, ele nos fez para sermos felizes e para amarmos ao nosso próximo, sem esquecer que a primeira pessoa que devemos amar é a nós mesmos.
“Os deveres da caridade atingem a todos, desde o menor até o maior, porque o cristão existe para servir, independente da posição social que ocupe”.

Todos os seres humanos buscam ser perfeitos para Deus.
Essa busca pela perfeição leva-nos a trilhar vários caminhos. Catolicismo, protestantismo, espiritismo, judaísmo, etc..
Mas o único e verdadeiro caminho que nos leva até Ele é o amor.
A perfeição é um estágio que nunca alcançaremos. 
O que não nos impede nos tornarmos melhores e evoluirmos um pouco a cada dia.
O único ser humano perfeito que existiu foi Jesus. 
Muitas pessoas tentaram seguir seu exemplo, mas ainda assim, em algum momento da vida, fraquejaram.
Por isso, chego à conclusão de que a única certeza que temos além da morte, é que devemos fazer o bem e amar.
Assim, agradamos ao coração de Deus, independente da crença religiosa que sigamos.
Visto que a lei do retorno existe para o bem e para o mal e esta sim é implacável.



quinta-feira, 18 de julho de 2013

Vamos deixar pra depois...

Há tempos estou com vontade de escolher algo sobre deixar para depois.
Inclusive eu mesma que há tempos não escrevo um post, porque tenho deixado para depois...
Escrevo especialmente para as pessoas, que como eu, gostam de deixar para depois o que não pode esperar.
Eu tento fazer as coisas no tempo, mas ultimamente o tempo está tão escasso, que tenho protelado a vida.
Mas esse constante corre-corre tem feito com que deixemos para depois as amizades, os relacionamentos, os trabalhos voluntários, a prática do bem...
Achamos que TUDO pode esperar. Que nada vai estragar ou sucumbir...
Que as pessoas estarão sempre disponíveis e à nossa espera. Que elas estarão lá, eternamente...

Uma coisa apresenta um defeito e deixamos para consertá-la depois. Até a hora em que percebemos que ela nos falta e continua lá jogada num canto qualquer.
A correria do dia-a-dia faz com que achemos que teremos um momento posterior, para ir vermos um amigo que há tempos não vemos, visitar uma criança recém nascida, achando que ela permanecerá assim, ou ainda, deixar de ver uma pessoa idosa a qual supomos o fim estar mais próximo a cada minuto.

Quando nos deparamos com a perda percebemos que não é bem assim. 
A vida é uma brisa leve que passa.
O tempo escorre pelas mãos.
O amor não pode esperar para ser sentido, a amizade não pode esperar para sempre, uma ideia não pode esperar para ser escrita.
Um dado momento, a ficha cai. A minha caiu quando há quase um ano perdi uma amiga. E em seguida outra.
E sei que perderei outros, assim como já perdi e muitos também me perderão um dia.

Somos feitos de urgências. Não é culpa nossa. O tempo hoje passa mais rápido, eu sei.
Há algum tempo, assisti a uma palestra onde o tema era o tempo: Kronos e Kairós. 
Cheguei em casa ávida por pesquisar o tema e escrever um post.
Me lembro que dentro das muitas leituras que fiz, fiquei um pouco aturdida.
E eis que agora, esse tempo me bate à porta novamente. Penso que foi devido ao fato de me despertar para algumas situações que estamos vivendo.
Uma breve definição:


"Kronos é o tempo mensurado, com dias, meses e anos. É finito, metódico, controlado, igual para todos. É o tempo linear, que cobramos aos outros e do qual dizemos que «tempo é dinheiro». É o tempo do calendário, o tempo do relógio.
Kairós significa “o momento certo ou oportuno”. Quando estamos totalmente absorvidos e vivemos no momento presente, sempre que nos sentimos apaixonados pelo que estamos a fazer ou pelas pessoas com quem estamos, empenhados, absorvidos, vivemos no Kairós.
Kairós é o tempo que alimenta a alma."



As pessoas muitas vezes ficam presas ao Kronos. 
Vou terminar este texto com a frase do palestrante Paulo Ricardo que me fez pensar sobre como eu estava aproveitando o meu tempo. Espero que mude sua vida também.

"Sejamos Kronos, mas sejamos mais ainda Kairós".


Que você tenha uma bela vida.

sábado, 11 de maio de 2013

Nunca saímos perdendo



Há tempos venho pensando em escrever este post.

Sobre perdas e ganhos.

Depois de um trabalho intensivo na busca por mim mesma e a tentativa de resgate das relações com o outro, de enfrentar meus medos, minhas dúvidas, cheguei à seguinte conclusão: NA VIDA, NUNCA SAÍMOS PERDENDO.

Sempre temos opções. Por mais que achemos muitas vezes que ela seja injusta.

A única coisa que não temos escolha é sobre a morte.

Mas no decorrer de toda a nossa vida, sempre temos possibilidade de escolher.

Imagine que estamos caminhado diariamente por uma estrada e que nela existam curvas e também bifurcações.

Assim é a nossa vida.

É um cair e levantar constante.

As vezes inúmeras bifurcações em um curto trecho. Mas nunca podemos parar e nem voltar atrás. 

Temos que escolher o rumo a tomar e seguir mesmo diante de uma encruzilhada.

Ninguém escolhe o nosso caminho; ninguém faz escolhas na vida por nós.


Algumas pessoas podem nos orientar ou tentar aconselhar em determinados pontos do trajeto, mas ninguém pode fazer o percurso por você.

José Saramago diz "Aprendi a não tentar convencer ninguém. O trabalho de convencer é uma falta de respeito, é uma tentativa de colonização do outro."

Cada um é dono e responsável por suas próprias escolhas.

Quanto a nós mesmos, temos possibilidades de escolher que rumo tomar. 

Quanto ao outro, também.

O que não cabe a nós e nem às outras pessoas é escolher um caminho errado e depois ter medo ou vergonha de mudarmos o rumo da nossa história. Nos acomodarmos.

Sempre podemos virar na outra esquina, ou seguir pela direita...

A vida é feita de escolhas certas e erradas.

Escolhas que são feitas a cada dia e por que não dizer a cada minuto, devido à  rapidez com que o tempo tem passado?!

Dela nunca saímos perdendo. 

Sempre colhemos algo de bom ou de ruim, mas que nós quisemos colher. Nós optamos.

A única coisa que não podemos escolher é quem vai ficar em nossas vidas, mesmo por que o outro também escolhe ir ou ficar.

E também não podemos optar por não morrer. Não ainda.

O resto, minha gente, para todo o resto temos alternativas.

É você que faz a beleza do seu caminho com as suas escolhas.

A grande verdade é que nunca sairemos delas com as mãos vazias.





quarta-feira, 17 de abril de 2013

O amor é um estilo de vida

"Se pensarmos no amor como um sentimento, ficaremos frustrados quando não pudermos despertá-lo em alguém. Mas quando descobrirmos que o amor é sobretudo uma ação, estaremos prontos para usar as ferramentas em nosso poder para amar melhor." – Gary Chapman

Acabo de ler, depois de seis meses, o livro "O amor como estilo de vida" de Gary Chapman.
Livro muito bom que me foi dado por um amigo e casou com a leitura que tinha acabado de fazer, sobre o efeito sombra.
Em resumo, fazer do amor um estilo de vida, depende de como estamos vivendo o amor em sua totalidade nos diversos campos de nossa vida.
O autor nos dá os segredos do amor e nos pede para observar como estamos atuando dentro de cada um desses "ingredientes".
São eles a gentileza, a paciência, a capacidade de perdoar, a cortesia, a humildade, a generosidade e a honestidade.

Quanto a Gentileza, devemos observar se estamos tratando as pessoas como gostaríamos de ser tratados, sendo educados, praticando pequenos gestos que sabemos que ajudam a quem está próximo de nós. Seja abrindo a porta de um carro, carregando algo para ajudar, preparando um jantar para família... 
Coisas simples, mas que fazemos com amor e que farão alguém feliz. 
Agindo assim, aqueles que amamos se sintirão valorizados e prioridade em nossas vidas.
O poeta já dizia: gentileza gera gentileza. 
Quanto mais a praticamos, mais a vida nos dá de volta. 
Então, sejamos gentis.
O segundo item é a Paciência. É preciso trabalhá-la constantemente. Dentro do amor ainda mais. 
Porque precisamos ser pacientes com o que julgamos "imperfeições" nos outros. Uma vez que também temos nossas limitações e cometemos erros. 
É preciso buscar acertar mais sem nos condenarmos porque não acertamos sempre.
Podemos querer e solicitar mudanças naqueles que amamos e em nós mesmos, mas nunca podemos exigir. 
É preciso tolerância com o outro para que possamos relevar (sem ser conivente) ao invés de condenar.



O terceiro item é a Capacidade de perdoar, esta consiste em compreender o que quer que nos tenha magoado, aceitar de uma maneira madura, porque nada nos acontece sem que tenhamos nossa parcela de responsabilidade. 
Praticar o autoperdão é imprescindível. Muitas vezes ficamos magoados conosco seja por uma escolha errada, ou por algum ato falho de qualquer natureza.
Perdoar algo que tenhamos feito a nós mesmos ou que venha de outrem não quer dizer que tenhamos que ser coniventes e esquecer o ocorrido. Não falo disso. Falo que temos que corrigir o erro (se for possível) e se não tiver outro jeito, assumir e prosseguir. Perdoar e seguir adiante. 
Se não for possível continuar a se relacionar com quem nos feriu, também não precisamos alimentar a raiva. Perdoe e siga, sempre.
O quarto é a Cortesia, apesar de muitas vezes confundirmos cortesia e gentileza, a primeira eu vejo como olhar cada pessoa e encontrar um amigo em potencial. 
Tratar as pessoas, todas elas, com carinho e respeito. Mesmo que você nunca tenha visto em sua vida. Atitudes de cortesia são muito simples. Trata-se de usar nossa educação e polidez com as pessoas. Dar um bom dia ao motorista do ônibus, sorrir quando cumprimentar alguém, responder educadamente quando alguém lhe solicitar uma informação ou se dirigir a você enquanto espera numa fila de banco... 
Pequenas atitudes que podem mudar o dia de alguém e que podem, aos poucos, transformar o mundo.
O quinto item para tornar o amor um estilo de vida é a Humildade. Ser humilde é não ser orgulhoso. É abrir mão de algo que achamos que nos é importante, mas que é mais significativo para o outro. É ceder a vez para que alguém possa avançar. É não se vangloriar pelas atitudes positivas pois elas são uma obrigação e não uma vantagem.
É aceitar os erros com maturidade e ver as críticas como construtivas. É difícil porque ninguém gosta de ser criticado, mas quando alguém nos chega com uma crítica é preciso coragem. Somos analisados todo o tempo e muitas pessoas preferem falar do nossos erros pelas costas do que vir até nós e dizer.
O maior mestre que passou por esse mundo, apesar de todo o seu poder, foi o mais humilde homem que passou por essa Terra.

O sexto item é a Generosidade, Que para mim se resume em doar-se aos outros das mais diversas formas. Você pode e deve doar seu dinheiro, seus bens, pois quando não habitarmos mais esse mundo, não levaremos nada do que adquirimos conosco. Fato inquestionável da vida. Mas ser generoso não é só doar dinheiro, bens, dar presentes àqueles que queremos agradar ou como forma de carinho. Ser generoso vai além. Você pode doar seu tempo a alguém que precise de cuidado, atenção, carinho ou até uma conversa. Generosidade se resume em bondade e caridade. 
Ajudar aos que necessitam, seja qual for a sua necessidade.
O sétimo e último item para fazer do amor um estilo de vida é a Honestidade, consiste principalmente em revelar quem você realmente é. É ser verdadeiro sempre que necessário, sem ser duro para não ferir os outros. É não esconder o que quer que seja das pessoas com as quais convive para que sempre haja confiança. 
Talvez a honestidade seja o item mais amplo a ser falado. Devemos ser honestos em nossas relações humanas de um modo geral. 
Não devemos mentir quando agimos errado, não devemos fingir ser quem não somos... Não devemos prejudicar o outro e depois fingir que não fizemos e ainda por a culpa em terceiros...
A honestidade é o alicerce da confiança e faz parte do caráter do ser humano. 


Para finalizar o amor não é só um sentimento o amor é a essência da vida e se traduz em atos concretos. Não adianta dizer "Eu te amo" se nossas ações contradizem nossas palavras.
"O amor é a maior fonte de realização do ser humano. No entanto, ao observarmos o que se passa entre as pessoas e suas relações interpessoais ficamos perplexos e nos perguntamos: Por que há tanto conflito e desentendimento no mundo? 
O que faz alguns expressarem amor de forma livre, espontânea e generosa, enquanto outros se isolam e não enxergam nada além de suas próprias necessidades? O que as pessoas capazes de amar têm de especial?
Muito mais do que um sentimento intenso, o amor é uma atitude, um exercício diário que todos podem praticar." 

Quando começamos a praticar as sete atitudes citadas anteriormente, aprendemos aos poucos a eliminar de nossas vidas as emoções negativas e aprendemos a lidar com os problemas que existem em qualquer relação, reconhecendo o valor do outro e alcançando a satisfação e a alegria em todas as áreas. 
Porém, sem abrirmos mão do que acreditamos e nos amando em primeiro lugar. Quem não ama a si mesmo é incapaz de amar o outro. 
Concluindo...
Depois de ler o livro de Gary Chapman O amor como estilo de vida resolvi mudar algumas atitudes, praticando o que eu ainda não fazia e posso testemunhar é que a maior beneficiada com as mudanças de atitude fui eu mesma. 
Te desafio a tentar.
E se interessar, leia o livro também.

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

MUDANÇA!!!

Nos últimos dias a palavra MUDANÇA tem aparecido muito nos textos que leio.
Estive pensando e resolvi escrever sobre isso.



"Você deve ser a própria mudança que deseja ver no mundo." Mahatma Gandhi

Muitos de nós sente necessidade de mudar. Porque está insatisfeito com a atual circunstância ou porque simplesmente é necessário. Não há como continuar da mesma forma. É da nossa natureza. Não há como tentar fugir.
Para mudarmos é necessário dar o primeiro passo e depois o próximo, o outro, mais um e mais um... até se alcançar o objetivo.



A maioria de nós não muda simplesmente porque tem medo do que não conhece.
A maioria do nós também julga quem muda, pela simples falta de coragem para ousar uma mudança.
Quando falo a grande maioria do nós, me refiro a mim também.
Já desisti de muitas coisas por medo, por achar que não era capaz, por achar que não era necessário (e depois vi que era), por achar que era difícil...
Nada é fácil. Esta é a grande questão.
Ninguém disse que seria.
Veja na sua família. Seus pais. Quanto eles não tiveram que batalhar para te dar educação, alimento, teto? Se eles sentissem medo, será que teriam conseguido fazer tudo isso por você?



A mudança causa dor, dá vontade de desistir no meio do caminho.
A grande maioria de nós acha mais fácil fugir ou se esconder dela.
A parte que sobra, fica sentado, assim como eu, pensando em dar o primeiro passo, mas não tem coragem.
Eu particularmente, tenho preguiça.
Mas ainda me resta uma centelhinha de fé que me faz dar passos lentos.
Por mais que te digam que é contraditório, que te julguem e te condenem, você pode sim, mudar. Como e quantas vezes quiser. Sua maneira de pensar, suas atitudes, seus hábitos, tudo isso pode ser transformado simplesmente porque os anteriores não tiveram sucesso.
E é isso que o ser humano busca em todos os setores da sua vida: Sucesso.

Então, vamos começar nossa mudança:
Se errou, assuma, peça perdão e conserte.
Se perdeu é porque não era pra ser seu. Então, erga a cabeça e busque algo novo.
Abstenha-se do orgulho.
Perdoe sempre.
Sorria mais.
Aprenda a ponderar o sim e o não.
Tente não ter medo.
Tente não desistir, se esconder ou fugir.
E principalmente: Queira.
"Tente outra vez" como diz a letra do Raul.
É assim que se muda. Abraçando a mudança.




"Inteligência é a capacidade de se adaptar à mudança."
Stephen Hawking



"Não há progresso sem mudança. E, quem não consegue mudar a si mesmo, acaba não mudando coisa alguma."
George Bernard Shaw


"Muda-se o ser, muda-se a confiança;
Todo o mundo é composto de mudança,
Tomando sempre novas qualidades.
Continuamente vemos novidades,
Diferentes em tudo da esperança;
Do mal ficam as mágoas na lembrança,
E do bem, se algum houve, as saudades."
Camões