sábado, 14 de julho de 2012

Tempo, tempo, tempo, tempo...

Estou há muito sem escrever, não por falta de inspiração ou assunto. Mas por falta de tempo.
Trabalho demais. Mas não estou reclamando. Amo o que eu faço.
Apenas não tem me sobrado tempo para escrever. E quando sobra, quero estar com meus amados.
Aproveitando cada minuto. Porque não sei quanto tempo me resta viver.
O tempo é tudo o que somos. Como diria Renato Russo.
Assisti a uma palestra há alguns dias, onde o palestrante falava sobre o tempo para os gregos e comecei a refletir sobre como vinha vivendo. Se escrava do tempo cronológico ou se esperando pelo tempo de Deus, ou ainda se estava aproveitando bem o tempo de vida que tenho.


Fiquei curiosa sobre Chronos e Kairós fiz uma pesquisa. Cheguei à conclusão de que Chronos é o tempo marcado e Kairós é o tempo vivido em sua essência bem aproveitado.
"Os gregos antigos tinham duas palavras para o tempo: khronos e kairos. Enquanto o primeiro refere-se ao tempo cronológico, ou seqüencial, o tempo que se mede, esse último é um momento indeterminado no tempo em que algo especial acontece, a experiência do momento oportuno. É usada também em teologia para descrever a forma qualitativa do tempo, o "tempo de Deus", enquanto khronos é de natureza quantitativa, o "tempo dos homens".
Na teologia cristã, em síntese pode-se dizer que khronos, é o "tempo humano", é medido em anos, dias, horas e suas divisões. Enquanto o termo kairos, que descreve "o tempo de Deus", não pode ser medido, pois "para o Senhor um dia é como mil anos e mil anos como um dia."".

Tendo em vista essas definições de tempo, nos cabe analisar como estamos vivendo a nossa vida.

Paulo Ricardo o palestrante nos fez a pergunta que deixo para você no final, mas antes vou dar minha resposta: Estava vivendo como Chronos a vida toda. Queria que meu dia tivesse 25 horas para que desse tempo de fazer tudo o que era preciso... Mas de algum tempo pra cá, comecei a viver como Kairós. Porque a vida é agora. O presente é o que vivemos e temos que fazer isso bem. 
Com muito amor e responsabilidade.


E então lhe pergunto: Tem vivido a sua vida como Chronos ou como Kairós?

Nenhum comentário: