quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

A conquista precisa ser diária - Você está fazendo isso certo?

Esse post é dedicado a todos os homens e mulheres sem exceção.
Aos que fazem isso certo e aos que não fazem.



A conquista é uma luta diária e eu como boa guerreira que sou, adoro travar grandes batalhas para realizar meus objetivos.
A conquista que vou falar aqui é especificamente sobre cativar pessoas.

Nós, pessoas humanas, muitas vezes achamos que, uma vez cativado um coração, a missão está cumprida e, então, pegamos aquele coração e o deixamos de lado, uma vez a cada milênio damos nele uma polida, somente para nos certificarmos de que ele está ali e é nosso.
Tratamos as pessoas como coisas na grande maioria das vezes.
Enquanto queremos conquistar, nos desdobramos em gentilezas e sutilezas.
Os apaixonados então... ah, os apaixonados... fazem serenatas, mandam bilhetes, enviam sms, lindas mensagens de e-mail, músicas e todo aquele blá, blá, blá... 
Depois de conquistada a pessoa, bem, aí são outros quinhentos... pegamos o coração dela e  simplesmente o guardamos.



Se essa relação progredir e chegar a um casamento, tanto pior!
A escritura de posse, uma vez assinada, não é preciso fazer mais nada, não é verdade?!
Esquecemos de vez as pequenas sutilezas e gentilezas, não é mais preciso, já temos a pessoa, então, pronto!
Fazemos isso com todas as pessoas que pensamos que são "nossas". 
Porém, essa relação de abandono indireto, começa cada vez mais cedo.
Os namorados já fazem isso entre si.
Os profissionais fazem isso com seus colegas de trabalho.
Os pais fazem isso com seus filhos.
Os maridos e esposas fazem isso.

Os pequenos gestos, a simplicidade, seja de uma flor colhida a esmo, uma mensagem no celular no meio da tarde,  a comida preferida, um café da manhã feito com carinho num domingo...
São coisas que não damos tanta importância, mas que, fazem toda a diferença. 
Fazem com que nos sintamos amados, lembrados, queridos...



Em suma, o que eu queria dizer com este texto é que, apesar de eu sempre ser contra a ideia de relacionamentos a base de troca, descobri que em um dado momento, alguém vai cansar de ficar na estante e outra pessoa com um belo sorriso vai apreciar o seu "objeto" cativado ali deixado e vai levá-lo consigo.
E não adianta revoltar-se. Você foi o/a maior contribuinte para que isso acontecesse.
As pessoas não são propriedades umas das outras.

Nem nossos filhos que geramos dentro de nós o são (apesar de muitas mães e pais pensarem). Temos que amá-los e respeitá-los, aumentando nosso carinho conforme eles vão crescendo, porque eles também encontrarão na rua. Seja nos braços de um amigo, de um amor... sempre vai haver alguém carente e alguém para dar carinho.

Devo ressaltar que nem todas as pessoas abandonam a conquista depois que conseguem seu objetivo. 
Mas as que lutam sozinhas uma hora se cansam.
Damos carinho, atenção e respeito, mas também queremos. 
Frisando que não é uma troca, mas uma necessidade inerente ao ser, principalmente o ser humano.

A conquista deve ser diária e o amor deve ser dado a cada dia mais do que ontem e menos do que amanhã.

Curta Blog da Multimulher no Facebook

3 comentários:

Haruka disse...

Gostei demais do post... Já passei por uma coisa parecida. A questão é que os seres humanos acreditam que o ser amado é nosso objeto de posse... Querem guardar, esconder do mundo, podando a liberdade e machucando o coração de ambos. E como "guardar" alguém, se essa pessoa nasceu livre? Como "guardar" alguém, sem machucar seu coração? Pois é... O egoísmo ainda prevalece no coração humano. O medo abala as estruturas do amor próprio que deveríamos ter... Mas acho que o ser humano deveria ter conscientemente dentro de si a celebre frase: "ninguém é de ninguém."

A Integração, a confiança, compreensão no relacionamento fazem sumir essas dúvidas e o amor está pronto para se renascer e ser vivenciado diariamente

Elaine disse...

Olá amiga! Como sempre adorei o post.Essa luta diária não pode deixar mesmo de existir se não qualquer que seja o relacionamento, acaba caindo se desgastando e então quando percebemos talvez seja tarde demais. Bjo pra vc.

Teresinha Cardoso disse...

Como sempre, você foi impecável neste post. Penso da mesma forma. Cuidar do amor deve ser um exercício diário..."Se eu digo que amo, então eu cuido com delicadeza desse meu sentimento..." Não acredito que possa existir amor fora da experiência do cuidado. Grande parte de relações bonitas, se perdem em meio ao descaso e ao abandono. Bjo p você, minha linda!