domingo, 15 de janeiro de 2012

Semear amor em terreno fértil é muito fácil

A minha reflexão de hoje é sobre semear o amor em terrenos férteis, isto é, pessoas que são fáceis de amar, por serem repletas de amor.
É tão simples amar às pessoas carinhosas, doces, amorosas, sensíveis e boas... Amigos que são gentis, alunos que não dão trabalhos e que são estudiosos, filhos educados e obedientes, companheiros amáveis, pais devotados e que dizem sempre sim.
É como você jogar uma sementinha numa terra boa e não ter nenhum trabalho para que ela cresça, floresça e dê os mais saborosos frutos.
É muito fácil amar quando se tem amor de volta.
Se pensarmos no mestre Jesus, quando passou por esse mundo, ele buscou os doentes, os carentes, os desprovidos de amor, os necessitados da palavra, os que não tinham fé.
Uma vez que seria bem mais fácil seguidores santos. Nem todos os seus apóstolos era pessoas de conduta 100%  excelente.



Ele veio para ajudar pessoas a crescerem, a evoluírem e a se tornarem melhores. No amor, na retidão, na fé em Deus.
Pela manhã, falava com minha amiga Clarisse Reis sobre porque algumas pessoas escolhem para amar pessoas que não tem nada a ver com elas em termos de objetivos e características.
Tipo amam o seu lado oposto, tipo Lei da Física.
Segundo ela, pessoas que não somam, não acrescentam.
E eu refleti sobre isso: Como é fácil amar alguém que se parece com a gente!
Alguém que é capaz de nos dar tudo o que precisamos, queremos... o que para nós é perfeito. Amar o perfeito aos nossos olhos é fácil.

Agora, experimente cuidar de um terreno improdutivo. Um terreno seco, invejoso, recalcado, egoísta, desprovido de amor, bondade, fé, carinho...
Ninguém quer se arriscar a ter esse trabalho, porque chutar cachorro morto é muito fácil. Maltratar alguém que já é extremamente maltratado até por si mesmo é muito comum.



Dar amor, sem esperar nada em troca, mesmo porque a pessoa não tem para dar é uma missão impraticável.
Para quê? A troco de quê?
Não ganhamos nada com isso.
Para que tentarmos ser como Jesus?
Muito mais fácil apontar o dedo para o outro.
Muito mais fácil amar quem nos ama.
Muito mais fácil reclamar da sorte e fugir da luta.
Amar pessoas amargas é tão sem sentido...
Mas onde o amor não se encontra é onde justamente ele é mais necessário.
É quem justamente mais precisa ser amado.
E é muito difícil amar quem não sabe o que é amor.
É muito difícil amar quem não vai nos amar de volta.
Da mesma maneira que é muito fácil amar as pessoas que para nós são boas e que sempre nos agradam.
Ninguém quer amar as pessoas chatas, amargas, de gênio ruim...
Por isso, lanço um desafio, a todos nós: Vamos tentar ser como Jesus e levar o amor aos corações cativos.
Aos lugares escuros da alma. Aos espíritos involuídos.
Só assim, aproveitamos a oportunidade de evoluirmos em espírito.
Semeando a boa semente, nos territórios mais improváveis.
Fazendo a diferença no mundo.





2 comentários:

luizinho disse...

muito lindo , mas concordo em parte.
gostar da pessoa q tem os mesmos gostos....a gente não escolhe isso , não é uma escolha nossa , elas aparecem em nossas vida independentemente da nossa vontade.

luizinho disse...

...da mesma forma as pessoas que nos são opostas....A gente só escolhe os locais , ambientes onde nos é conveniente estar , e as pessoas nas quais nos relacionamos na maior parte das vezes encontramos assim...aí vem a paixão o amor e sei lá + o que e nos convida a viver com algumas delas e só depois de vivermos algum tempo é possível saber se eram as certas ou erradas...muitas vezes nós mesmos é que temos os erros e muitos erram começando pelas suas escolhas...descobrimos isso depois com um sofrimento ou decepção!