quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Então é Natal... (Parte I)- O Indulto

O ano está terminando e começamos a nos perguntar como agimos no decorrer de todo ele.
Com a perspectiva de um novo ano se aproximando, renovam-se esperanças, planos, sonhos que adiamos nos últimos 365 dias e empurramos para o próximo.
Eu me pergunto somente se fui boa com as pessoas e se fui uma boa menina.
O que posso dizer é que não, não fui uma boa menina, MESMO.
Apesar de ter feito algumas coisas boas nesse ano, o saldo de coisas ruins foi maior.
Pelo menos aos olhos de todos, aprenda isso de uma vez: Só importam os seus erros, eles serão apontados para o resto da vida. O que você faz de bom, ninguém percebe. Suas qualidades, ninguém aponta insistentemente e ressalta o tempo todo.
Uma coisa que para mim não cabe é o INDULTO de Natal. 
Você tem 365 dias para se desculpar pelos erros e para ser perdoado. 
Então, porque esperar até o Natal?
Talvez a pessoa nem queira te perdoar, mas você se aproveita da comoção causada por esta data para tirar um proveito em seu favor.
Você tem todos os dias para se perdoar, para buscar o perdão do outro, para se renovar.
Não espere dezembro chegar para fazê-lo.
Cabe a você e só a você reconhecer seus erros e defeitos e perceber também as qualidades únicas que possui, porque ninguém, como disse anteriormente, vai apontar para você suas qualidades com a mesma veemência com a qual aponta seus maus atos.
No máximo vão te elogiar uma vez e ponto.
Que ao findar desse ano, saibamos reconhecer as coisas boas e principalmente as ruins que fizemos.
Para que no próximo Natal, que falta pouco, não venhamos a cometer os mesmos erros que nos anteriores e que no próximo ano cometamos erros, mas que sejam novos, porque afinal, somos humanos e como tal, propensos a errar.




4 comentários:

Anônimo disse...

Concordo plenamente!Praticamente todo mundo usa esse artificio que é o natal pra tirar proveito...pra fazer uma media e fingir que perdoa ou que é importante ser perdoado.Se realmente o quisesse,faria-se em qualquer dia do ano!Demagogia nua e crua!
Entao que as pessoas possam ser mais honestas consigo mesmas,pois só assim serão honestos com os outros.

Hudson Fernando

Anônimo disse...

Olá Chris! Concordo com você . Acredito que datas especiais não se prestam para esse tipo de coisa. Datas especiais são para compartilhar a alegria, solidariedade, o amor. O perdão deve ser um exercício diário, assim como a humildade. Penso que a nossa capacidade de refletir sobre as nossas atitudes para com o outro deve, antes de qualquer coisa, passar pelo auto perdão. Fazer um mergulho dentro de nós mesmos e rever o motivo que nos levou a desconsiderar as fronteiras que demarcam o território do outro. Nestes tempos de fechamento de ciclos, é muito proveitoso fazer uma avaliação das tarefas que interrompemos, pelo medo da frustração, pelo nosso grau , muitas vezes, baixíssimo de tolerância com o tempo do outro, pela cobrança excessiva de auto superação e mais uma infinidade de itens que cada um vai descobrir por si mesmo, se quiser se aventurar nesse exercício. O que mais conta, a meu ver, é ainda a nossa decisão de se encantar com a própria existência. Desapegar-se. Buscar o auto contentamento para fazer do mundo um lugar um pouco melhor , onde as pessoas com as quais nos relacionamos ,possam se sentir melhores e mais felizes . Um Feliz natal para você e sua família linda. E...não creio que o seu saldo foi negativo. Você não veio a este Planeta Azul para cometer tantos erros. Algo dentro de mim sempre me confirmou isto. Muita Paz e muita luz!

Teresinha disse...

Oi Crhis! O comentário acima é meu...Teresinha. Acho que pelo texto dá pra saber! Beijo no seu coração...

Janaína disse...

Eu odeio a hipocrisia, são 365 dias no ano, quem gosta de fazer boas ações dar comida e brinquedo para tirar um peso da consciência, pq o dinheiro para comprar tais coisas e alimentos deve ter vindo de alguma falcatrua ou sonegação de imposto. Existem pessoa boas essas não precisam de natal para fazer o bem, ontem vi um exemplo no caldeirão uma senhora adotou 27 crianças e cuida de 60 numa creche na própria casa sem nem um centavo de governo nenhum. Pessoas não sentem fome só no natal, não sentem frio só no natal, crianças precisam de creches mãe de trabalho, presentes não dão dignidade a essas pessoas. Os supermercados da cidade ficam tão cheios nessa época que da preguiça, o consumismo desenfreado, fazendo dividas no cartão, dividas no ch especial. Em janeiro vem a realidade IPTU para pagar IPVA,material escolar. EU ODEIO NATAL do fundo da minha alma.