segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Estamos sempre usando e sendo usados?



Você saberia dizer quando alguém está te usando?!
Hoje, especialmente refleti muito acerca disso.
Quando gostamos muito de alguém, não conseguimos identificar se tal pessoa tira proveito disso em benefício próprio.
Se você consegue saber quando está sendo usado, tiro-lhe o chapéu...
Eu sou o tipo de pessoa, como disse em vários posts anteriores, que faz as coisas pelos outros por prazer.
Antes eu achava e até esperava algum reconhecimento pelo bem que fazia, agora, não mais.
Aprendi que estou nesse mundo para servir e fazer as pessoas felizes e mais nada.
Nada me deixa mais feliz do que arrancar um sorriso de alguém, ou mesmo de fazer alguma coisa para tornar o dia de quem gosto mais agradável.
Já fiz cada coisa patética, mesmo assim, não me arrependo, porque a satisfação que senti não teve preço naquela hora... Mas enfim...
Apesar de muitas decepções, com pessoas que eu amei muito, mas que  no fundo só quiseram usufruir da minha boa vontade, ainda assim eu faria tudo de novo.
Mesmo quando amamos muito, num dado momento, percebemos que o outro apenas quer de nós uma psicóloga, uma amiga, uma prostituta...  dependendo do grau de relacionamento que temos com esse alguém... (falo no feminino porque sou mulher, mas isso acontece com vários homens, também) 
E isto é  uma falta de respeito e um egoísmo sem tamanho.
E  só acontece porque somos permissivos. 
Se não deixássemos, as pessoas não nos usariam.
Em alguns momentos, me pego pensando: Será que não estou fazendo o mesmo?!
Será que também não tiro proveito das pessoas que são amigas, em meu próprio benefício?!
Em alguns momentos sinto raiva de mim porque deixei que me fizessem isso, as pessoas às vezes abusam das outras inconscientemente. Sem nenhuma maldade.
Eu também posso estar fazendo isso.
Na verdade, não sei, não sei, não sei mesmo.
Gosto de preto no branco, por isso acho que não conseguiria usar ninguém, assim como admiro as pessoas que são assim comigo. 
Adoro a sinceridade. 
Odeio pessoas covardes.
Adoro atitude.
Odeio omissão.
Quando me decepciono com alguém fico para morrer, porque sempre espero o melhor dos outros.
E nem sempre os outros dão o seu melhor em uma relação, seja de amizade, amor, ou o que for...


Eu sempre me jogo, só depois eu penso no que estou fazendo geralmente já é bem tarde...
Geralmente me fodo, mas eu não me arrependo nunca de tentar.
Mas eu não ligo, coloco um band-aid e me jogo de novo...




Nenhum comentário: