segunda-feira, 15 de agosto de 2011

15/08 DIA DOS SOLTEIROS

Dia dos Solteiros
Essa é uma data nova no meu calendário.
Descobri através do facebook, assim como o Lingerie day.
Então vamos falar sobre ser solteiro.
Eu já fui solteira há muito tempo. Era legal.
Depois que você tem alguém, seja um longo namoro ou um casamento, você vê que ser solteiro é bom, mas que é muito melhor ter alguém com quem compartilhar a vida.
Quando eu digo alguém, não me refiro a qualquer pessoa. Sábado estava falando com algumas pessoas sobre isso.
Tem que ter química, afinidade, companheirismo e um monte de ingredientes ultranecessários para uma relação dar certo. E as pessoas têm preguiça de se comprometer por isso. Então ficam usando a máscara do solteiro bem resolvido.
Ficar só é muito bom. Mas tem prazo de validade.
Ser solteiro, para algumas pessoas, é sinônimo de pegar geral.
Mas só quem dividiu um momento especial com alguém vai entender do que eu tô falando.
Muitas pessoas confundem liberdade e solteirice.
Você pode namorar, casar, e ser livre. O amor verdadeiro liberta.
O que eu quero falar nesse post é o seguinte: ser só não é sinônimo de felicidade. Os seres humanos são carentes por natureza.
Não existe nada pior do que comer um miojo sozinho em casa numa sexta ou sábado a noite quando todos os seus amigos tem algum compromisso e não podem sair com você.
Só quem sabe o quão bom é dormir abraçado com alguém entende a dor do vazio que é dormir com os pés frios, sem dormir numa conchinha...
Depois que você tem isso, vai por mim, a vida de solteiro não é tão legal assim.
Troco as noites de baladas da solteirice por um filme e uma tigela de pipoca com a cabeça num colo, recebendo um cafuné. Assisto até 2012, o filme mais exagerado dos últimos tempos.
Troco todas as transas sensacionais que você vai me dizer que teve, pelo sexo com amor. Sem essa de transar, vestir a roupa e cair fora, que você solteiro vai me dizer que tem.
Troco os 300 beijos na boca que você dá numa noite, por um beijo na testa de alguém que me olhe com olhos de amor e que me respeite como pessoa.
Depois que você divide a sua vida com alguém, você vai pra balada, ouve uma música que faz seus olhos merejarem e pensa: Como eu queria ter alguém para dividir esse momento.
Eu passei por isso nas minhas últimas saídas.
Eu passei pelos dois mundos e agora, estou retornando ao mundo da "solteirice".
Não estou pronta e nem penso em me envolver com alguém tão cedo, porque tenho medo.
Tenho amigos, mas em alguns momentos eles não vão poder me salvar porque estarão cuidando de seus próprios interesses.
Tenho filhos e por mais que eles sejam a melhor companhia do mundo, você aí sabe que não é disso que eu estou falando.
Falo do "E agora?". 
Agora, me deito no sofá, coloco num canal de filme, devoro uma barra de chocolate ou fico na internet, ou vou para essas baladas vazias, open bar, onde a maioria das pessoas são tão vazias e sem graça quanto.
Depois que você passar pelos dois mundos, venha me dizer que está feliz com sua solteirice.
Se você ainda não passou, posso até acreditar que você se sinta bem assim. 


3 comentários:

Marcos Vinicius disse...

Belo Post Chris! assino em baixo de tudo que você falou... :]

Só de ter alguém do seu lado dizendo que o ama e cuide de você, compartilhar momentos em que você ta sempre lembrando... Saudades de quando amei alguém de verdade :|...

é rarissimo ter um amor verdadeiro... nem sempre as companias tem os "ingredientes" necessários hahahahaha... sempre vem uma decepção... mais é assim, alguma hora aparece alguéeem hahaha...

Fica com Deus!

Beijos Chris...
Att: Marcooooooooooooos! :]

Chris disse...

Obrigada amore, você é um doce. Queria ter metade da minha idade ;).

Clarisse Reis disse...

Ah, mas eu falo que ser solteiro tem lá suas vantagens... Mas as desvantagens são bem maiores rsrs
E é na balada que você sente mais forte isso.
COncordo com a sua reflexão a respeito do assunto, Christiane!
É bem isso...