terça-feira, 17 de maio de 2011

O vôo da Borboleta



Ultimamente, tenho ouvido e lido muita coisa sobre finalizações.
Engraçado, muita coincidência, ainda mais para uma pessoa que tem dificuldade para concluir coisas, como eu.
Quando comecei a fazer terapia, além de querer fazer as pazes comigo, queria conseguir mudar isso em mim. Essa incapacidade em dar cabo no que é preciso.
Eu achava que não conseguia terminar nada.
Hoje eu vejo que simplesmente, termino o que é humanamente possível e que vale a pena, quando tenho condições fazer e com perfeição.
O perfeccionismo é outro dos meus defeitos.
Não adianta fazer várias coisas e não concluir. 
Faço somente uma, me concentro nela e concluo.
Assim não perco o foco.
As pessoas com quem tenho conversado me dizem que tudo tem princípio meio e fim.
Minha psicóloga diz que muitas coisas foram concluídas, e que agora outras se iniciam e devem ser concluídas também. 
Uma de cada vez.
O trabalho com ela me leva a refletir sobre isso.
Não adianta eu querer abraçar o mundo, se meus braços são tão pequenos...
É importante percebermos isso, assim não usamos nossas forças em causas perdidas.
Posso até parecer meio indiferente em algumas questões, mas simplesmente, parei de empenhar minha energia em causas e em pessoas que não mereçam atenção, pelo menos no momento.
Meio que, guardei numa gaveta, e quando for por ordem na minha casa, vou arrumar o que der e jogar fora o que não me serve mais.
Toda mudança causa dor. 
Tento então pensar no ciclo das borboletas e agir como se fosse uma.
No momento me sinto feia, cheia de mal humor, melancolia, sentimentos ruins, mesmo.
Preciso me fechar, me reorganizar, me refazer, me reinventar...





Para quando eu sair do casulo eu possa me sentir linda, brilhante e pronta para grandes vôos.
Livre.


2 comentários:

Aline disse...

Perfeito!!!!

Agência PSD Designer Ltda. disse...

Adoramos o blog, estamos seguindo...

lucre com seu blog divulgando nosso banner

www.psdesigner.com.br/entretenimentos

ao participar seu blog é automaticamente divulgado aqui.