sábado, 16 de abril de 2011

Culpa e responsabilidade

A minha terapeuta me pediu para essa semana analisar esses dois termos.
Porque eu uso muito a palavra culpa.
Então, após ler dicionários, textos de psicologia e afins, cheguei a conclusão de que Culpa é um ato que seja passível de punição, como um homicídio por exemplo.
Mas desde pequenos quando cometemos erros, somos educados de forma que nos sintamos arrependidos mas não somos responsabilizados por aquele erro cometido.
Por exemplo, quando no dia da festa de aniversário metemos o dedo no bolo e fazemos um grande estrago, ao invés de nos ensinarem a refazer a parte que danificamos, somos repreendidos, expostos e punidos, para que sintamos arrependimento e nos culpemos eternamente por temos estragado a festa.
E assim crescemos achando que devemos nos martirizar, sentindo culpa pelos nossos erros, mas nunca tentando reparar o dano, porque sentir culpa e se vitimizar é bem mais fácil.
Carregar o peso do mundo nas costas é agradável para quem se acostuma à culpa, envolver o problema de todas as pessoas então, nem se fala... funciona como uma espécie de pagamento de dívida pela culpa sentida.
Eu acho que carregar o sentimento de culpa, faz com que as pessoas sintam pena de nós, o que não é bom.
Quando assumimos a responsabilidade por nossos atos, quando admitimos nossos erros e encaramos nossos problemas de frente a deixamos de lado esse martírio, esse penar que carregamos, que pesa, que nos faz rastejar.
Esse calvário é o que chamamos CULPA.
Segue um texto que me inspirou a fazer este post:
"Acredito que o ser humano contribui para a criação de cada condição de sua vida, seja ela boa ou má, em função de sua maneira de pensar e sentir. Os pensamentos criam sentimentos; assim, passa-se a viver de acordo com esses pensamentos e sentimentos. Mas isso não significa que se é culpado pelo que sai errado na vida.

Existe uma diferença entre ser responsável e culpar a si mesmo ou aos outros. Quando falo sobre responsabilidade, na verdade estou falando sobre possuir o poder.
Quem acusa os outros, entrega a eles o poder capaz de modificar sua própria vida. Se você costuma fazer papel de vítima, está usando seu poder pessoal para ser indefeso. Quem decide aceitar a responsabilidade não perde tempo pondo a culpa em alguém ou alguma coisa que está lá fora.
Há pessoas que se sentem culpadas por criarem doenças, pobreza ou problemas no mundo que as cerca. Escolheram interpretar a responsabilidade como sendo culpa e sentem-se culpadas porque acreditam que falharam em alguma coisa. Para mim, responsabilidade não tem nada a ver com culpa...
Responsabilidade é a capacidade de reagir a uma situação. Sempre temos uma escolha. Isso não significa negar quem somos ou o que temos. Simplesmente quer dizer que devemos reconhecer que contribuímos para ser o que somos.
Assumindo a responsabilidade, ganhamos o poder de mudar e dizer:
- O que posso fazer para mudar isto?
Para que isso aconteça, é preciso, acima de tudo, compreender que todos possuímos o poder - o tempo todo, e tudo depende do modo como o usamos.

(por Louise L. Hay, do livro "O poder dentro de você")"

Um comentário:

Kaká disse...

Olá amiga! Q bom ler coisas tão bacanas e vindas de vc! Amei! Bj grande!