segunda-feira, 4 de abril de 2011

As mães de Chico Xavier


Dizem que mãe é tudo igual, só muda de endereço.
Equivoca-se quem pensa assim.
Algumas se sentem preparadas para sê-lo, e no entanto, ao verem o quão difícil é educar, temem por não serem boas o suficiente.

Outras não se sentem preparadas ou não tem vontade, e devemos respeitar isso.
Mas não dá direito de tirar uma vida. Por isso, pensemos antes nas consequências do sexo pelo sexo.

Porém, venho para lhes falar sobre o filme.
Assistam mães, assistam filhos, assistam todos.

Resumo na fala da personagem Elisa (Vanessa Gerbelli) o que é ser mãe. Algo mais ou menos assim:
" Todas as noites em minhas orações eu pedia a Deus que todo o mal que estivesse previsto para o meu filho recaísse sobre mim, que Ele não deixasse nada de mal acontecer a ele, que ele vivesse muitos anos, que eu tropeçasse 1000 vezes na frente dele, para que ele nunca caísse..."

Apesar de minha boa memória, não me recordo integralmente o que ela relata à professora Lara, mas é tipo isso.

Caí no choro nesse momento dentro do cinema, e acho que também todas as mulheres presentes.
Pergunte à sua mãe por quantas e quantas noites esse não foi o único pedido dela para Deus.
O que posso experienciar a vocês que lêem meu blog, é que a cada livro ou filme espírita que vejo, mais reflito sobre minhas atitudes aqui na Terra. 
Talvez tudo isso seja mesmo verdade, talvez não.

Mas de qualquer forma, somos responsáveis por nossos filhos e não adianta delegar a nossa missão de ser mãe a outrem.

Fica a dica.


Nenhum comentário: