sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

O amor causa dependências

Estive pensando esses dias no quanto o amor pode ser ruim também, como uma droga, nos causando dependência física e/ou psíquica.
Quando nos entregamos verdadeiramente ao amor, deixamos com que ele nos enleve e nos deixamos levar, sem pensar muitas vezes e ele nos acorrenta.
E quando menos esperamos nos tornamos pessoas carentes do outro, seja esse outro quem for, filhos, pais, cônjuges, etc...
E nos sentimos frágeis criaturas que vão perdendo o controle sobre si mesmas.
Quem não amou demais que atire a primeira pedra.
Eu já amei demais, aliás, eu amo demais.
Tanta gente...
Me sinto acorrentada a essas pessoas que amo e só consigo pensar nelas, antes de tomar qualquer decisão, mesmo sabendo que pode me ser prejudicial, ou mesmo que não me satisfaça em nada.
Só por amor.
Quando não temos toda a atenção que gostaríamos de ter, vamos nos tornando pessoas dependentes, fisicamente por um beijo, por um abraço, por um colo, por uma atenção mínima e quando não temos, vamos definhando, como se nosso organismo sentisse falta de algo essencial à nossa sobrevivência, como um alimento.
Sentimos dores no coração, como se ele fosse explodir. 
Psicologicamente, nossa autoestima cai, entramos em depressão, não nos sentimos bons o suficiente para o outro, queremos demonstrações de afeto que vêm raramente ou nunca, e quando temos o que quer que seja, agimos como o cachorro que recebe um afago do dono depois de ter feito alguma coisa certa.
Nos sentimos importantes.
Acho que todos nós já nos sentimos assim um dia. Dependentes, carentes, solitários, mesmo estando com o outro ali diante dos nossos olhos.
Quantas vezes não me senti mal como amiga, como mãe, como mulher porque não soube ler nas entrelinhas o que as pessoas queriam de mim?
E quantas vezes não me senti pior ainda, abandonada, saudosa, porque não tive o mínimo de atenção de alguém que amo.
Atenção não toma muito tempo de ninguém, em compensação, a falta dela, pode fazer estragos irreparáveis na vida de uma pessoa.
Você pode fazer alguém feliz com um simples clique no mouse.
Mas tem uma infinidade de outras coisas que você pode fazer para que a outra pessoa se sinta importante, amada e menos carente.
Vamos aprender a ler nas entrelinhas.


Nenhum comentário: