quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

A metáfora da pirâmide

Há certos momentos na vida em que chegamos num estado de carência quase insuportável.
Deitamos na cama, abraçamos um travesseirinho e ficamos ali pensando em alguém para nos fazer um carinho até pegar no sono e sonhar que estamos juntos dessa pessoa.
Nos lembramos dela nos momentos mais simples, desde ouvir uma música, até fazer um simples café, ou quando assistimos a um filme comendo pipoca...
Tudo o que fazemos, pensamos se ela iria gostar de estar junto de nós.
Às vezes vamos a lugares em que antes estivemos juntos e quase a materializamos, de tanto que desejamos a sua presença ali, ao nosso lado.
Foi pensando nessas coisas que acho tolas, que escrevi a metáfora da pirâmide:
Se o amor fosse uma pirâmide, no topo estariam nossos filhos ou pais, e na base os amigos, a família e o trabalho... e nosso amado (a) estaria no centro, que é para não sobrecarregá-lo demais, porque o centro é o que considero um ponto de equilíbrio. Um centro que parece que surge quando estamos juntos de quem amamos e desejamos, se é que dá pra entender...
Uma necessidade aquém de filhos, família, amigos... uma necessidade de carinho que só homem e mulher podem proporcionar um ao outro, e que faz muita falta na vida.
E essa pirâmide temos que deixar nas mãos de Deus, para Ele cuidar. 
É Ele quem sustenta tudo isso a que devotamos nosso amor.
E que a vontade Dele seja feita.
Se você e a pessoa que ama forem um para o outro o que fará bem e o que fará feliz, está escrito nas linhas tortas de Deus, talvez temos que passar por algumas adversidades, para darmos mais valor ao amor.
Se não é quando esperamos que seja, é porque ainda temos muito o que evoluir.
Então, vamos pensar positivamente, que tudo vai se acertar.

Nenhum comentário: