sábado, 13 de novembro de 2010

AMA?! AMA, NADA!

"O padre galã"

Começarei hoje com uma frase do Padre Fábio de Melo:
 "Não podemos acreditar no amor de quem nos aprisiona e nos mantém em cativeiro."
Amar é deixar livre.
Amar é querer que o outro seja feliz e cuidar para que isso aconteça.
Seja o outro quem for.
Estou cansada de ouvir pessoas dizendo que amam e mantém o ser amado como refém.
Sufocando, forçando a barra...
O amor precisa de espaço para crescer.
Eu sempre ouvi dizer que quando a gente prende demais nas mãos, escorre pelos dedos.
Nem os filhos, que achamos que são "nossos" podemos tratar assim.
Imagine as outras pessoas.
Ninguém é de ninguém.
Não falo isso de maneira pejorativa, não prego o "amor livre", apenas não acredito que quem ama se sinta posseiro do corpo e da alma do amado.
Não acredito que pessoas assim sejam felizes porque não sabem o que é de verdade o amor.
Há muito tempo, escrevi num caderno ou numa agenda, uma frase cuja autoria desconheço, mas que tem muito a ver com o que penso sobre o amor.
"Amo a liberdade, por isso deixo livre tudo que tenho...Se voltar é porque conquistei, senão é porque nunca as possuí!"
Pode ter certeza, que se você conquistou de verdade, o amor volta. Acredite!

Nenhum comentário: