segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Os meus 7 pecados capitais - Capítulo I A preguiça



Essa semana vou tentar falar dos meus sete pecados capitais.
Não adianta falar que estamos livres disso, porque não estamos.
Resolvi falar primeiro da preguiça, já que dela entendo bem.
Peguei num site da net uma definição do pecado da PREGUIÇA:
É definida como aversão ao trabalho, negligência. Este sentimento faz com que as pessoas desqualifiquem os problemas e a possibilidade de solução destes. A preguiça não se resume na preguiça física mas também na preguiça de pensar, sentir e agir. A crença básica da preguiça é "Não necessito aprender nada", levando a um movimento freador das idéias e ações dentro das organizações que no cotidiano e traduzido pelo "deixa para depois". http://www.guiarh.com.br/PAG21H.htm
Eu me enquadro nas três preguiças supracitadas.
A de pensar. A de sentir. E a de agir.
Pensar?! Pra que pensar?! Existe a calculadora, internet, google,  wikipédia, yahoo answers, e por aí vai...
Pra que perder meu precioso tempo pensando, se tenho quem faça isso pra mim?
Pra que vou ler um livro inteiro se tem encontro o resumo na internet?
Pra que estudar? Existe o Google. (essa, especialmente, aprendi com meus alunos) O google tem trabalhos prontos, viva o plágio minha gente!
Sentar a bunda na cadeira, estudar, pensar... por quê?
Só de pensar em preguiça, já me deu preguiça.
Sentir?! Ah meu Deus... pra que usar os sentidos? Cheirar, ouvir, falar... Dá muito trabalho e não adianta. Ninguém ouve hoje em dia.
Experimentar, ter um sentimento... Dá uma canseira. Gostar, cuidar, preocupar.
Mas pra quê? Não sei, então não vou mais sentir. 
Não tem sentido.
Relacionar-se, amar, odiar... tudo isso cansa.
Mas a preguiça campeã é a de agir. Pra que fazer hoje? Ah meu nego, vamos deixar pra amanhã? Pra semana que vem? Pro mês que vem? Pro ano que vem? Pra daqui há 100 anos?
Pra que agir, se posso ficar aqui sentada, sem fazer nada, só pensando besteiras?
Preguiça é tão bom... Nenhum preguiçoso deve morrer de enfarte.
Quando eu morrer, conto pra você.
Mas morrer também dá uma preguiça... ai meu Deus...







Nenhum comentário: