quinta-feira, 22 de julho de 2010

Magno Sam

Hoje é aniversário do meu amigo Magno Sam.
Então nada mais justo do que rasgar um pouco de seda para essa pessoa que diz que eu tiro perfume de pedras (achei lindo isso).
O Magno tem um papel muito importante na minha vida.
Ele tocava com seu amigo Sissi no Estação de Minas (bar da Laura, onde eu, meus amigos e amigas nos encontrávamos diariamente para jogar conversa fora).


(Nem precisa dizer que o Magno é esse cara do meio, abraçado com o Marques, eca!)

Um belo dia, estava ouvindo seu repertório Legião, quando percebi que eles tocavam Sete Cidades e ainda rolava uma gaita. Isso me chamou muita atenção, pois era um fato raro ouvir essa música e ainda tão bem trabalhada.
Quando eu o conheci pessoalmente, andava triste, com o coração partido, porque tinha perdido uma pessoa que amava muito*. 
E essa amizade era como se fosse um bálsamo nas minhas duras noites com o coração sangrando.
Voltando ao lado bom desta história, meses sentada  no gargarejo, assisti a banda crescendo (o Projeto Paralelo), chegaram o Jânio e o Valmir, duas figuraças que também  agregaram à minha dupla de amigos cantores. 
Nesse meio tempo, meu amigo ficou grávido do Ícaro (já tinha duas meninas, me lembro) ficou todo bobo quando o garotão chegou ao mundo (hoje ele já é um belo rapaz)...
Um belo dia, estávamos sentados à mesa, antes do show de sexta começar, e mostrei a ele um trem besta que tinha escrito pra uma amiga minha, na sala de aula. Ele disse: "Posso ficar com esse papel?"
Na semana seguinte, me chega ele, começa a tocar, a gente lá conversando e ele apresenta a música Rio Vermelho, e disse pra todo mundo que eu tinha escrito aquilo. Fiquei cheia de moral... rss...
Mas a lembrança melhor que tenho do Magno, foi no dia do meu aniversário de 17 anos, 16/09/1995, aniversário esse que tinha tudo pra ser o pior  de toda a minha vida, meu pai pela primeira vez não me ligou (depois disso, ele não me ligou em nenhum outro e eu também não chorei mais).
Quando entrei no Estação de Minas, o Sissi estava de intervalo e o Magno tocava Wish you where here, do Pink Floyd. Quando ele me viu, interrompeu a música e disse: "Chris, feliz aniversário!"
De repente, vi todos os meus amigos sentados em uma enorme mesa. E o aniversário mais triste, se tornou o mais feliz.
Tempos depois, esse menino deixou de tocar lá no bar da Laura e ficamos um tempo afastados.
Mas amizade como a nossa, nem o tempo e nem a distância podem apagar.
Tantos acontecimentos bons e ruins no meio desse percurso... um longo tempo afastados, até que um dia demos uma topada (literalmente) na praça 7, num sábado de dezembro, de 2005, à noite.
E depois disso, nunca mais nos perdemos de vista.
A esse homem-menino, atleticano (porque ninguém é perfeito) dedico este post.
Que Deus o abençoe, que você possa ter o sucesso que tanto merece e que você alcance a felicidade que todos buscamos.
Beijo grande no seu coração.
Você tem um lugar especial no meu.
Adoro você.

2 comentários:

Magno Sam disse...

Longe dos que todos me conhecem, sabem tão pouco de mim, como de ti. Aprecio tudo disto, distante e dentro da alma. Bjus no seu coração minha eterna poetisa.

JACK disse...

ELE NÃO ESTA LONGE ,ELE ESTA CADA VEZ MAIS PERTO. CRISSSS