quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Em 2011 eu vou...


Em 2011 eu vou...
Aprender a nadar.
Aprender a dirigir.
Reaprender a comer.
Parar de beber demais. (além de ter ganhado todos os quilos de novo, a dor de cabeça da manhã seguinte, ninguém merece.)
Largar o maldito cigarro.
Correr.
Fazer mais amigos.
Trabalhar muito e bem. E ganhar dinheiro com isso.
Vou me amar mais, porque assim as pessoas me amarão de volta.
Ouvir muito rock. 
Ir a mais shows do que esse ano.
Fazer outra viagem sozinha.
E o principal, vou rir  e me divertir muito com meus pequenos.
(porque em 2010 chorei demais).
2010 foi bom, mas já está acabando, e já vai tarde.
Vem pra mim 2011, vem conhecer a felicidade! 
Porque a felicidade sou eu que faço.

O ano do tigre está acabando

Como anteriormente prometi, vou falar um pouco sobre 2010 e 2011 de acordo com o horóscopo chinês.
2010 é o Ano do Tigre de Metal, e só terminará em 2 de fevereiro de 2011.
Me lembro que quando li há cerca de um ano, sobre o Ano do Tigre, confesso que fiquei um pouco preocupada.
"Este é definitivamente um ano explosivo. Começa geralmente com um estrondo e acaba com um choramingo. Um ano dado para a guerra, o desacordo e desastres de todo os tipo. Mas será também um ano grande, bold de realce). Nada será feito numa escala pequena, ou tímida. Tudo, bom e mau, pode e será levado aos extremos. As fortunas podem ser feitas e perdidas. Se você tiver uma possibilidade poderá agarrá-la mas nunca esqueça que tem grandes obstáculos pela frente.As pessoas farão coisas drásticas no mesmo momento. Os temperamentos subirão ao seu redor, será uma época de testar a sua diplomacia. Como o tigre, nós tenderemos a agir sem pensar e a terminar lamentando-nos pela pressa que tivemos." http://www.hoops.pt/astrologia/tigre.htm 
Logo de cara tivemos um terremoto no Haiti, uma tragédia, perdas e mais perdas de almas inocentes.
No nosso país, chuvas, enchentes, mortes, acidentes de trânsito, dengue... 
(Até eu tive dengue esse ano.)
No ano do tigre, as proporções de tudo são enormes, percebe-se pelo nosso verão que está começando com um calor infernal.
Acho o povo oriental fantástico, principalmente os japoneseses, adoro sua comida, seu respeito com o planeta e com o próximo, o cuidado com seus idosos e crianças.
Para eles a palavra obesidade é substituída pela palavra longevidade.
Temos muito a aprender com eles.
Mas voltando ao horóscopo chinês, o ano que vem é o Ano do Coelho de Metal. E se coelho é um bichinho tranquilo e fofo, podemos esperar um bom ano também.
(E não que o América seja campeão de nada, viu Clarisse? Milagre demais não podemos esperar...)
Quando o Ano Novo Chinês começar, falarei sobre isso.











Que 2011 humilhe 2010


Recebi uma mensagem com essa frase "Que o seu ano de 2011 humilhe o de 2010 de tão bom...".
Achei tão bacana que ficou na minha cabeça.
Não tive o melhor ano em 2010.
Apesar de algumas conquistas, momentos felizes, tive muitas perdas também.
Mas se for parar para analisar, os ganhos foram mais significativos.
Psicologicamente, o ano foi ruim, como um todo.
Só mesmo nesse finalzinho é que deu uma boa melhorada, a autoestima subiu um pouco, mas os quilos que ganhei de novo, depois de um ano de dieta, me deixam ainda um pouco tristes.
Mas nas metas de 2011 inclui voltar a entrar no meu jeans brilhante, que me deu muito trabalho para achar.
A julgar pelo final do ano, creio em Deus que 2011 será um ano muito melhor, tendo em vista que será o ano do coelho de metal, de acordo com a sabedoria chinesa.
Adeus 2010, que venha 2011!

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Minhas mandingas de fim de ano


Todo fim de ano recorro a mandingas supersticiosas para começar um ano novo maravilhoso...
Acho que tudo com um pouco de fé funciona.
Então vamos às que eu nunca deixo de fazer e que considero infalíveis: Roupa nova para atrair bons fluidos para o novo ano, de preferência recorro aos sites que falam sobre o que determinada cor atrai. Em geral, uso calcinha amarela para atrair dinheiro e sutiã vermelho ou rosa que atrai amor. Tudo 0km é claro. A cor da roupa depende do que eu esteja precisando mais;
Como 7 uvas à meia-noite e a cada uva faço um desejo;
Lentilha na ceia para atrair prosperidade e sorte, pois, como é um alimento que cresce, faz a pessoa crescer também; Não como na ceia animais como: aves e caranguejo não é indicado na ceia de Ano Novo. Como esses animais ciscam ou andam para trás, acredita-se que quem comê-los regride na vida;
Entra no ano com o pé direito, literalmente, pulando num pé só;
Limpar bem a casa e jogar tudo o que não presta fora;
Uma das simpatias mais comuns feitas no Ano Novo para atrair dinheiro é a da romã. Chupe sete sementes na noite de Réveillon, embrulhe todas num papel e guarde o pacotinho na carteira para ter dinheiro o ano inteiro;
Posso assegurar amigos, que dão certo para mim. Quando me esqueço de alguma, sempre falta um dos meus desejos, no último ano, por exemplo, esqueci de por a calcinha amarela e da romã, e passei o ano dura...
Sou muito supersticiosa quando se trata de começar um ano.
Leio horóscopo chinês, porque confio muito na sabedoria oriental. Ano que vem é o ano do Coelho. Desse assunto tratarei num outro post antes de 2010 acabar.

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

A paz que eu preciso


Hoje olhei pra dentro de mim por 10 minutos.
Parei para ouvir meu coração batendo. Um som maravilhoso que nunca tinha parado para ouvir.
Ele pedia paz e me transmitia paz de volta.
Fechei os ouvidos e mirei o azul do céu.
Depois fechei os olhos e me senti livre.
Dentro da água.
Era como se eu tivesse voltado para dentro do útero.
As vezes é bom parar tudo o que se está fazendo e olhar para dentro de si mesmo e tentar ouvir o que o seu coração está pedindo.
O meu clamava por paz.
Dez minutos de paz que me deixaram feliz por algum tempo.
Mas a paz que eu preciso é o silêncio, do céu azul, de um olhar, do meu coração, do amor, da esperança, de um sonho bom...
A paz é um desejo único e individual.
Encontre a sua.



"Homem primata capitalismo selvagem"

Uma das maiores lembranças de minha infância 2001 A Space Odyssey

Como diria uma das minhas bandas de rock nacional preferidas, "Desde os primórdios até hoje em dia O homem ainda faz O que o macaco fazia" (trecho de Homem Primata, dos Titãs).
E é no final do ano que o ser humano mostra seu lado mais primitivo, fazendo questão de lembrar a todos sua descendência do macaco.
Eu como todos sabem não gosto de sair de casa no período que antecede ao Natal.
Os engarrafamentos nas grandes cidades, são enlouquecedores. O corre-corre de pessoas nos supermercados, atropelando os outros com seus carrinhos pesados, nas calçadas as sacolas e sombrinhas que nos dilaceram os membros e nos furam os olhos.
Porque mesmo não estando chovendo hoje, o calor de 35ºC em nossa cidade, dá pra fritar qualquer criatura andante.
Mas tomados pelo capitalismo selvagem, a grande maioria de nós não se importa com isso e deixa tudo para a última hora.
E disputam a tapas os objetos das lojinhas de R$1,99, ou aquela roupa de baixo de R$ 9,99... vemos mulheres quase se estapeando. 
Terça-feira na faixa de pedestres fui empurrada por uma senhora de meia-idade enquanto atravessava com minha filha...
Pedi a Deus para me dar paciência porque se eu pedisse força, matava...
Enfim, é o espírito do Natal, se ele tivesse um nome, nem sei qual seria... 
Porque Jesus, este,  já não é lembrado por quase ninguém a mais de 2000 anos.
Então não me venha falar da hipocrisia que é o Natal porque não caio mais nessa.
Já sou crescidinha pra acreditar em Papai Noel.

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Me encontrando nos textos de Caio Fernando Abreu

Caio Fernando Loureiro de Abreu foi um jornalista, dramaturgo e escritor brasileiro que faleceu em 1996.


Nunca li nada tão EU em toda a minha vida. Já havia pesquisado alguns de seus livros, preciso me aprofundar mais e conhecer esse homem intimamente.


Citação 1:


"Me entende, eu não quis, eu não quero, eu sofro, eu tenho medo, me dá a tua mão, entende, por favor. Eu tenho medo, merda!Ontem chorei. Por tudo que fomos. Por tudo o que não conseguimos ser. Por tudo que se perdeu. Por termos nos perdido. Pelo que queríamos que fos...se e não foi. Pela renúncia. Por valores não dados. Por erros cometidos. Acertos não comemorados. Palavras dissipadas.Versos brancos. Chorei pela guerra cotidiana. Pelas tentativas de sobrevivência. Pelos apelos de paz não atendidos. Pelo amor derramado. Pelo amor ofendido e aprisionado. Pelo amor perdido. Pelo respeito empoeirado em cima da estante. Pelo carinho esquecido junto das cartas envelhecidas no guarda- roupa. Pelos sonhos desafinados, estremecidos e adiados. Pela culpa. Toda a culpa. Minha. Sua. Nossa culpa. Por tudo que foi e voou. E não volta mais, pois que hoje é já outro dia. Chorei. Apronto agora os meus pés na estrada. Ponho-me a caminhar sob sol e vento. Vou ali ser feliz e já volto."


Citação 2 


Eu entro nesse barco, é só me pedir. Nem precisa de jeito certo, só dizer e eu vou. Faz tempo que quero ingressar nessa viagem, mas pra isso preciso saber se você vai também. Porque sozinha, não vou. Não tem como remar sozinha, eu ficaria girando em torno de mim mesma. Mas olha, eu só entro nesse barco se você prometer remar também! Eu abandono tudo, história, passado, cicatrizes. Mudo o visual, deixo o cabelo crescer, começo a comer direito, vou todo dia pra academia. Mas você tem que prometer que vai remar também, com vontade! Eu começo a ler sobre política, futebol, ficção científica. Aprendo a pescar, se precisar. Mas você tem que remar também. Eu desisto fácil, você sabe. E talvez essa viagem não dure mais do que alguns minutos, mas eu entro nesse barco, é só me pedir. Perco o medo de dirigir só pra atravessar o mundo pra te ver todo dia. Mas você tem que me prometer que vai remar junto comigo. Mesmo se esse barco estiver furado eu vou, basta me pedir. Mas a gente tem que afundar junto e descobrir que é possível nadar junto. Eu te ensino a nadar, juro! Mas você tem que me prometer que vai tentar, que vai se esforçar, que vai remar enquanto for preciso, enquanto tiver forças! Você tem que me prometer que essa viagem não vai ser a toa, que vale a pena. Que por você vale a pena. Que por nós vale a pena. Remar. Re-amar. Amar


Citação 3:


De cada dia arrancar das coisas uma modesta alegria; em cada noite descobrir um motivo razoável para acordar amanhã.


Citação 4:


Nenhuma luta haverá jamais de me embrutecer, nenhum cotidiano será tão pesado a ponto de me esmagar, nenhuma carga me fará baixar a cabeça. Quero ser diferente, eu sou, e se não for, me farei.


Citação 5:


Ela o amava. Ele a amava também. E ainda, que essa coisa, o amor, fosse complicada demais para compreender e detalhar nas maneiras tortuosas como acontece, naquele momento em que acontecia dentro do sonho, era simples. Boa, fácil, assim era. Ela gostava de estar com ele, ele gostava de estar com ela. Isso era tudo.


Citação 6:


Vai passar, tu sabes que vai passar. Talvez não amanhã, mas dentro de uma semana, um mês ou dois, quem sabe? O verão está aí, haverá sol quase todos os dias, e sempre resta essa coisa chamada 'impulso vital'. Pois esse impulso às vezes cruel, porque não permite que nenhuma dor insista por muito tempo, te empurrará quem sabe para o sol, para o mar, para uma nova estrada qualquer e, de repente, no meio de uma frase ou de um movimento te surpreenderás pensando algo assim como "estou contente outra vez". Ou simplesmente "continuo", porque já não temos mais idade para, dramaticamente, usarmos palavras grandiloqüentes como "sempre" ou "nunca". Ninguém sabe como, mas aos poucos fomos aprendendo sobre a continuidade da vida, das pessoas e das coisas


Citação 7:


Não é que acordei me achando hoje? Agora neguinho me trata mal e eu não deixo. Agora neguinho quer me judiar e eu mando pastar. Dei de achar que mereço ser amada.


Citação 8:
Ou talvez eu só precise de férias, um porre e um novo amor.


Gran Finale

Abrace a sua loucura antes que seja tarde de mais.

Natural é as pessoas se encontrarem e se perderem.



Mais em: http://pensador.uol.com.br/autor/Caio_Fernando_Abreu/

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Nada é por acaso


Penso muito na questão do acaso. O acaso na verdade existe?!
Esse fim de ano, estou reflexiva sobre as pessoas que cruzam nosso caminho vida afora...
Algumas vezes, podemos nos deparar com elas em dados momentos que não prestamos atenção. E talvez as deixemos passar desapercebidas, por estarmos focados em outras coisas.
Algumas amizades que fiz no decorrer de minha vida, muito sólidas, foram feitas assim, em reencontros com pessoas.
Um dia, você encontra uma alma afim e sente que já a viu antes... nessa, noutra vida... vai saber.
Parece que ela sempre foi sua amiga. É estranho. Queria um dia poder me aprofundar mais em questões espiritualistas.
O autor do meu livro preferido (O pequeno Príncipe), 

Antoine de Saint-Exupéry, tem um  texto que diz que nada na vida é por acaso.


Eu acredito com veemência nessa afirmação. Deus tem sempre um propósito para a nossa vida, a nossa única missão é ficar atento aos sinais e descobrir qual é.


Pode parecer simples, mas não, é dificílimo saber o que estamos fazendo aqui. Nem os maiores sábios da história o fizeram, imagine, eu, pobre de mim.


Quem somos?, Para onde vamos?, são questões que talvez nunca venhamos a obter respostas...


Mas uma coisa é sabido, nossa curta passagem por essa Terra, tem um fundamento.


E não é por acaso.

"Vida...
Cada um que passa em nossa vida passa sozinho...
Poque cada pessoa é única para nós, e nenhuma substitui a outra...
Cada um que passa em nossa vida passa sozinho, mas não vai só...
Levam um pouco de nós mesmos e deixam um pouco de si mesmos.
Há os que levam muito, mas não há os que não levam nada.
Há os que deixam muito, mas não há os que não deixam nada.
Esta é a mais bela realidade da vida... A prova tremenda de que cada um é importante e que ninguém se aproxima do outro por acaso! 
Antoine de Saint-Exupéry"

domingo, 19 de dezembro de 2010

De alma lavada



Nas últimas semanas vinha me consumindo, me sentindo a pessoa mais burra e incompetente da face da terra.
Tudo isso, porque fui mal numa prova de concurso.
Até aí normal, não?! Quem não vai mal numa prova de concurso público?
Mas acredito que ninguém que tenha feito faculdade de qualquer licenciatura, tenha afundado na prova de sua disciplina.
Confesso que fui um pouco soberba, deixei de estudar Português porque achei que me garantisse e porque NUNCA tinha tirado menos de 80% numa prova desde que tinha 7 anos de idade.
Enfim, não fui mal por displicência, porque li e reli minha prova umas quatro vezes.
Geralmente, como diz meu amigo Dudu da faculdade, faço provas no melhor estilo The Flash.
Mas depois de todo o stress que passei para fazer essa prova, confesso que me mantive muito calma. Coisa que seria praticamente impossível em se tratando de minha pessoa.
Ontem a noite minha amiga Vi me ligou falando sobre os recursos que foram julgados e vi que passei no concurso.
Pelo menos minha linda redação pode ser corrigida, o que me deixou muito feliz.
Posso nunca ser chamada pro cargo. 
Mas estou de alma lavada, porque acertei mais questões na prova e vi que não sou incompetente e muito menos burra.
Me deu uma nova energia esse fim de ano.
Meu trabalho maravilhoso, as pessoas encantadoras que Deus colocou na minha vida no último mês e principalmente a certeza de que posso conseguir tudo o que eu quiser se me esforçar um pouco mais.
Eu sou mais que vencedor
Nada nessa vida é impossível pra mim
Eu nasci pra conquistar
Nada nessa vida é impossível pra mim
Nada Nada nessa vida é impossível pra mim
Impossível é uma palavra muito grande que gente
pequena usa pra tentar nos oprimir (Charlie Brown Jr.)"

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Os meus 7 pecados capitais - Capítulo Final - A Inveja



Devo confessar que a Inveja é um dos sete pecados que mais abomino e o pratico pouco.
Na verdade, admito que só tem uma pessoa nesse mundo que eu inveje.
Porque ela tirou algo de mim, algo que a vida toda eu quis, e não tive, mas que agora não vem ao caso.
Por enquanto não.
Abomino todos os seres invejosos que querem o que é do outro.
Que sentem-se frustrados com as conquistas do outro e não fazer merda nenhuma para conquistar suas próprias vitórias.
Abomino quem só sabe criticar e não se mostra capaz de fazer melhor.
Abomino olho gordo.
Que todos os olhos gordos morram de diabetes.
Dia desses, falava com a Sámatha sobre inveja boa (expressão para suavizar o que é abominável). Não existe inveja boa. Você pode até não querer especificamente o que é do outro, mas se quiser igual, ou parecido e não merecer, é inveja do mesmo jeito.
A inveja cega as pessoas.
Sinto inveja das pessoas livres.
Sinto inveja das pessoas que não brigam por qualquer bobagem.

As pessoas invejosas nem sempre são incompetentes, mas sempre se escondem por baixo da pele de cordeiros e vítimas. 
Minha família é cheia de gente assim.
Termino  as postagens sobre os sete pecados com uma citação que eu acho fantástica:
"A inveja é um vírus que se caracteriza pela ausência à sintomas aparentes. O ódio espuma. A preguiça se derrama. A gula engorda. A avareza acumula. A luxúria se oferece. O orgulho brilha. Só a inveja se esconde.Zuenir Ventura."

Pequemos menos em 2011...

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Divinas experiências


Quando nada mais parece possível, quando já perdemos todas as forças para lutar, eis que surge em nossa vida a luz no fim do túnel, que nos é mostrada pelos verdadeiros amigos.
Só os verdadeiros amigos tem a coragem e a sabedoria de ser sincero, mesmos sabendo que isso pode magoá-lo e sabendo também que naquele momento a razão dele é o suporte para não deixar você esmorecer.
E levam você a buscar experiências fantásticas, revigorantes e que reacendem em você a esperança e a fé perdidas.
Ontem fui com minha amiga Sámatha a Novena de Nossa Senhora Desatadora dos Nós. 
Eu já ouvira falar dela, mas nunca me aprofundei em sua história e nunca me interessei muito por santos além de São Judas Tadeu.
Enfim, ontem na igreja, eu pude presenciar testemunhos de verdadeiros milagres atrubuídos a esta santa, e fiquei pensando no que seria de nós sem a fé.
A fé nos impulsiona a não desistir. A acreditar. A lutar. A confiar em algo que não temos certeza.
Eu acredito em milagres. Sei que existem coisas que não conseguem ser explicadas por estudioso algum.
Ontem vi pessoas pedindo com veemência por algo que só o íntimo do seu coração conhecem.
Vi pessoas agradecendo graças alcançadas e dando seu testemunho na frente de centenas de outras pessoas.
Movidas somente pela fé e pela gratidão a Deus e a essa mãe protetora e benigna que é a Virgem Maria, mãe de Jesus.
Acredito que as coisas acontecem quando devem acontecer. Que tudo tem um tempo certo. E quem determina esse tempo é Deus.
Então, não pergunte e ele por que e sim para que.
E exercite sua paciência esperando pelo seu milagre.
Mas não espere que ele vá chegar sem que você se esforce e sofra muito por isso.
Se tudo na vida fosse fácil, não daríamos o devido valor.
Tudo nessa vida tem um sentido de ser. 
Não estamos aqui a passeio.
Que me desculpem as outras crenças, não estou aqui para defender minha religião, porque na verdade discordo de muitas coisas dentro das igrejas em geral, a única coisa que de defendo aqui é a fé das pessoas que para mim é algo fantástico e inexplicável, capaz sim, de remover montanhas.





quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

A marionete de trapo



Hoje, apenas vou postar esse texto lindo, intitulado La Marioneta, que tem uma história muito interessante, por ter sido divulgado na net como A Carta de Despedida de Gabriel García Márquez, mas que na verdade foi escrita por um ventriloquo de marionetes mexicano.
"Se, por um instante, Deus se esquecesse de que sou uma marionete de trapo e me presenteasse com um pedaço de vida, possivelmente não diria tudo o que penso, mas, certamente, pensaria tudo o que digo.Daria valor às coisas, não pelo que valem, mas pelo que significam.
Dormiria pouco, sonharia mais, pois sei que a cada minuto que fechamos os olhos, perdemos sessenta segundos de luz. Andaria quando os demais parassem, acordaria quando os outros dormem. Escutaria quando os outros falassem e gozaria um bom sorvete de chocolate.
Se Deus me presenteasse com um pedaço de vida, vestiria simplesmente, me jogaria de bruços no solo, deixando a descoberto não apenas meu corpo, como minha alma.
Deus meu, se eu tivesse um coração, escreveria meu ódio sobre o gelo e esperaria que o sol saísse. Pintaria com um sonho de Van Gogh sobre estrelas um poema de Mario Benedetti e uma canção de Serrat seria a serenata que ofereceria à Lua. Regaria as rosas com minhas lágrimas para sentir a dor dos espinhos e o encarnado beijo de suas pétalas.
Deus meu, se eu tivesse um pedaço de vida. Não deixaria passar um só dia sem dizer às gentes – te amo, te amo. Convenceria cada mulher e cada homem que são os meus favoritos e viveria enamorado do amor.
Aos homens, lhes provaria como estão enganados ao pensar que deixam de se apaixonar quando envelhecem, sem saber que envelhecem quando deixam de se apaixonar. A uma criança, lhe daria asas, mas deixaria que aprendesse a voar sozinha.
Aos velhos ensinaria que a morte não chega com a velhice, mas com o esquecimento. Tantas coisas aprendi com vocês, os homens...
Aprendi que todo mundo quer viver no cimo da montanha, sem saber que a verdadeira felicidade está na forma de subir a escarpa.
Aprendi que quando um recém-nascido aperta com sua pequena mão pela primeira vez o dedo de seu pai, o tem prisioneiro para sempre. Aprendi que um homem só tem o direito de olhar um outro de cima para baixo para ajudá-lo a levantar-se.
São tantas as coisas que pude aprender com vocês, mas, finalmente, não poderão servir muito porque quando me olharem dentro dessa maleta, infelizmente estarei morrendo.
Johnny Welch"

sábado, 4 de dezembro de 2010

Querer é poder, sim!


" Queira! (Queira!) Basta ser sincero E desejar profundo Você será capaz De sacudir o mundo Vai! Tente outra vez!"




Essa semana, eu e um colega de trabalho, conversávamos sobre o quanto o querer interfere no ter.
Por isso temos que ter cuidado até com o que vamos pedir para Deus, porque tudo o que pedimos e queremos do fundo do nosso coração ele concede.
Falo em relação a tudo, tudo mesmo.
Alcançar objetivos, ficar rico, ter a pessoa que ama... tudo o que você desejar irá alcançar se tiver vontade.
Porém isso não é garantia de felicidade.
Por isso, falei anteriormente que devemos ter cuidado com os pedidos que fazemos, os sonhos que temos...
Algumas vezes o pouco que temos pode não ser reconhecido, valorizado...
Então almejamos algo grandioso, mas que nos faça infeliz.
A força do pensamento atrai nossos desejos mais impossíveis, mais secretos.
A gana, a garra faz com que tenhamos condições de lutarmos pelos nossos ideais.
Só que muita gente pede, pede, pede e fica esperando cair do céu.
Não vou dizer que nada cai do céu, porque cai.
Alguns meteoritos, pedaços de naves espaciais...
Vai saber.
Querer é poder, sim!
"Quando você deseja algo do fundo do coração, o universo inteiro conspira a seu favor ( Provérbio Árabe)"
Então, vamos a luta!
Você quer? Você acredita? Então você vai ter!

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Perder o fôlego


"A vida não se mede pelas vezes que respiramos, mas sim pelos momentos que nos deixaram sem fôlego..."
Vi essa frase no orkut de um colega meu e copiei. 
Depois disso, coloquei em todo lugar, somente para me lembrar dos momentos em que perdi o fôlego na minha vida.
Alguns momentos de sobressaltos também nos tiram o fôlego, porque nos causam medo, pânico...
Mas esses com tempo, são deixados de lado.
Os momentos bons, que nos tiram o fôlego, por esses sim, vale a pena viver. 
Para esperar o nascimento de um filho.
Encontrar o amor da sua vida.
Dar um beijo daqueles...
Andar de montanha russa.
Entrar numa cachoeira bem gelada...
Rir até o ar faltar.
Dentre outras coisas gostosas e que nos fazem resfolegar.
São esses momentos é que fazem a vida valer a pena.
O resto... ah, o resto não merece comentários.



quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Os meus 7 pecados capitais - Capítulo VI - A Soberba

VANITAS,VANITATES: VAIDADE DAS VAIDADES
A soberba, também conhecida como vaidade, tem duas faces. A do gostosão e a do pobre coitado.
Engraçado, não?
O soberbo gostosão é aquele que se acha 'o melhor', ninguém é páreo para ele, não admite perder, é o mais bonito, o mais poderoso, o pavão.
"O soberbo quer sempre estar no topo.Não pode viver sem platéia.O orgulho e a presunção não são  sentimentos apenas humanos.Os deuses e as religiões também são presas deles;quando se proclama “Eu sou o Deus Único”, também não é presunção?ou “Eu sou o povo Eleito”,também não é? Nossa civilização está calcada no orgulho e na presunção;não aceita competidores;não tolera dissidentes;por isso tende a ser destruída." (http://www.artigonal.com/meditacao-artigos/os-sete-pecados-capitaisa-soberba-514467.html)
O soberbo gosta de escarnecer dos outros, apontar as fraquezas alheias, mas no fundo é ele o fraco, sente prazer ao tentar diminuir o outro, e tem orgasmos múltiplos quando consegue fazê-lo.
Essa semana paguei pela minha soberba. Achei que me garantisse, dominasse a matéria que estudei na faculdade, a bendita Língua Portuguesa e deixei de lado os estudos. Moral da história, me ferrei. E só nela eu me ferrei.
Talvez se eu tivesse tido a humildade de achar que não sei tudo, tivesse me saído melhor...
O avesso da soberba, é o coitadinho, que nada mais é do que o soberbo mais ordinário e cretino que existe.
"È  o pobre soberbo,que não aceita ajuda, que ostenta sua miséria como um galardão,para ser admirado pelos outros e citado como exemplo: -Vejam como ele é,tão íntegro! dizem todos;pois é isso que o falso soberbo quer,admiração.Assim,fingem ser mais ignorantes do que são,ostentam uma falsa humildade,depreciam-se sempre para serem elogiados,orgulhosos dos seus dotes,subservientes,ás vezes,cabisbaixos,sempre;porém,queimando interiormente,invejando os mais afortunados,não raro tentando prejudica-los; esses, fazem as delicias dos escritores; é a criada d’O Primo Basilio, é a Prima Bette, da Comedia Humana, é o Iago,de Otelo..."
Essa sou eu. A pessoa mais soberba do mundo (por me sentir a mais soberba do mundo, pode-se notar o tamanho de minha pretensão). Porque sou uma mistura da gostosona com a pobre coitada.
Mas eu admito, o pior são as pessoas que insistem sempre em ser as vítimas de todas as situações, a estas meu eterno desprezo.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

O primeiro amor



Hoje vou falar sobre o "primeiro amor".
Não aquele que achamos sentir por outra pessoa nos primórdios de nossa existência.
Falo sobre o amor hierarquizado. O amor que deve vir em primeiríssimo lugar.
O também chamado "amor-próprio". Aquele que muitos de nós muitas vezes confundimos com egoísmo.
Por isso o primeiro amor, é tão mal interpretado.
Historicamente falando, muitos pensadores desmereciam o amor-próprio, pois o julgavam, além de egoísta, como sendo extremamente vaidoso.
Mas enfim, como falei anteriormente, vai da consciência de cada um.
Nietsche dizia que “Jamais alguém fez algo totalmente para os outros. Todas as ações são autodirigidas, todo serviço é auto-serviço, todo amor é amor-próprio. Não se ama o outro: ama, isso sim, as sensações agradáveis que tal amor produz em si mesmo.”
Se amamos o que os outros nos proporcionam então, já descobrimos o primeiro amor.
"[...]Quando me amei de verdade,
comecei a me livrar de tudo
que não fosse saudável.
Isso quer dizer: pessoas, tarefas,
crenças e - qualquer coisa que
me pusesse pra baixo.
Minha razão chamou isso de egoismo.
Mas hoje eu sei que é amor-próprio. "(Kim McMillen)

Amar-se, acreditar-se, abraçar-se, sentir-se, formar-se, valorizar-se... se você não fizer isso primeiro, quem vai fazer?
Se você se olhar no espelho e não se sentir lindo, com todos os seus defeitos e virtudes, quem vai fazer isso por você?
O primeiro amor, o nosso amor por nós mesmos, não requer que sejamos o centro das atenções dos outros e sim o de nossas próprias.
Primeiro devemos suprir as nossas necessidades e anseios, para, só assim, conseguirmos satisfazer as necessidades e anseios do outro. Sem deixar que isso ocupe cem por cento de nosso tempo e de nosso pensamento.
Pois quando nos doamos por inteiro a outro e deixamo-nos de lado, a frustração e o sofrimento tomam proporções catastróficas.
Mas quando nos amamos em primeiro lugar, conseguimos canalizar as doses de amor necessárias à todos aqueles que merecem fazer parte do nosso círculo de amor.
Então, abrace-se!

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

O amor não acaba, apenas se modifica, ou como diria Martha Medeiros, nós é que mudamos.




"O amor não acaba. O amor apenas sai do centro das nossas atenções. O tempo desenvolve nossas defesas, nos oferece outras possibilidades e a gente avança porque é da natureza humana avançar. Não é o sentimento que se esgota, somos nós que ficamos esgotados de sofrer, ou esgotados de esperar, ou esgotados da mesmice. Paixão termina, amor não. Amor é aquilo que a gente deixa ocupar todos os nossos espaços, enquanto for bem-vindo, e que transferimos para o quartinho dos fundos quando não funciona mais...(Martha Medeiros)"


Uma relação de amor que perdura  por anos, com o passar do tempo, parece que vai deixando de ter sentido.
É como se de um lado o amor amadurecesse e do outro ele continuasse "verde".
Com isso, vão morrendo os desejos de uma das partes ou de ambas... vai saber...
E o amor, vai tomando forma e rumo diferentes do que esperávamos.
Sempre que nos apaixonamos por alguém, achamos que vai durar pra sempre. Então, dura a eternidade de dez, doze anos...
Estava lendo um texto da Martha Medeiros que  fala que o "amor não acaba, nós é que mudamos", o que faz é uma grande verdade, uma vez que com o tempo torna-se convivência, amizade, fraternidade, companheirismo, comodismo... e mais N coisas que podemos denominar.
O amor eterno é utopia, quem é que não sabe disso?!
Já dizia Vinícius, "que não seja imortal, posto que é chama, mas que seja infinito enquanto dure".
Sejamos felizes enquanto ele durar.
Se se transformou, não façamos disso um cavalo de batalhas, saibamos aproveitar o amor e suas N formas de mudança.
E demos espaço aos novos amores que surgem entre as mesmas pessoas, ou para com outras pessoas.
Não deixemos que o amor se estatize assim como nós algumas vezes nos estatizamos.

sábado, 13 de novembro de 2010

AMA?! AMA, NADA!

"O padre galã"

Começarei hoje com uma frase do Padre Fábio de Melo:
 "Não podemos acreditar no amor de quem nos aprisiona e nos mantém em cativeiro."
Amar é deixar livre.
Amar é querer que o outro seja feliz e cuidar para que isso aconteça.
Seja o outro quem for.
Estou cansada de ouvir pessoas dizendo que amam e mantém o ser amado como refém.
Sufocando, forçando a barra...
O amor precisa de espaço para crescer.
Eu sempre ouvi dizer que quando a gente prende demais nas mãos, escorre pelos dedos.
Nem os filhos, que achamos que são "nossos" podemos tratar assim.
Imagine as outras pessoas.
Ninguém é de ninguém.
Não falo isso de maneira pejorativa, não prego o "amor livre", apenas não acredito que quem ama se sinta posseiro do corpo e da alma do amado.
Não acredito que pessoas assim sejam felizes porque não sabem o que é de verdade o amor.
Há muito tempo, escrevi num caderno ou numa agenda, uma frase cuja autoria desconheço, mas que tem muito a ver com o que penso sobre o amor.
"Amo a liberdade, por isso deixo livre tudo que tenho...Se voltar é porque conquistei, senão é porque nunca as possuí!"
Pode ter certeza, que se você conquistou de verdade, o amor volta. Acredite!

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Um dia daqueles...


O título de hoje se deve primeiro à merda de dia que tive e segundo a um livro bem legal que já li e fala sobre dias como esse.
Quando você pensa que tudo o que tinha de dar errado, já deu, engana-se redondamente.
Não reclame porque tem jeito de piorar.
Um e-mail que você não gostaria de ler.
Alguém que não dá notícias há muito tempo. E que tá pouco se lixando com a sua preocupação.
Seu chefe acumula a raiva que todos fizeram nele o dia todo e desconta em quem?!
Em você.
Acha pouco?!
Trânsito, calor, ônibus cheio e um velho pra implicar porque você e um colega estão conversando no ônibus.
Aí você conta até 100, porque o cara é velho e não merece que você desconte toda a sua ira em cima dele.
Vai que esse infeliz enfarta?
Vontade de mandar todo mundo praquele lugar.
Vontade de mostrar o dedo médio para todo mundo que te olha atravessado.
Vontade de mandar tudo à merda.
Essa é minha vida. Esse é meu mundo.
Bem vindo ao clube.